30 de out de 2011

Irukandji, água-viva pequena e mortal

  • Água-viva pequena e mortal - do tamanho de uma unha

Ela passa despercebida pelos seus olhos, já que a pequena "caixa" transparente tem 1-2 centímetros de diâmetro. 

Porem, se seus minúsculos tentáculos tocarem acidentalmente em sua pele, você saberá que ela está lá, pois sentirá uma dor colossal. Não subestime a irukandji. Ela é mais uma no disputado ranking de espécies mais perigosas que existem. 

Com mais ou menos o tamanho de uma unha possui um veneno que já levou milhares de pessoas à morte.


Durante anos, centenas de pessoas apresentaram misteriosos sintomas quando entraram no mar na região do Oceano Pacífico. Mais tarde, descobriu-se que a Irukandji é a responsável pela ocorrência dos sintomas conhecidos como síndrome de Irukandji. 

Em 1964 o cientista Jack Barnes decidiu que ia provar sua tese sobre cubozoários serem os causadores dos sintomas, tocou ele mesmo numa minúscula Carukia barnesi e descreveu os efeitos da toxina do animal - náuseas e vômitos, sensação de desespero etc. 

A presença de cicatrizes vermelhas, são típicas do contato com os tentáculos destes animais, outra evidência de que a sí­ndrome de Irukandji é uma explicação para as mortes que ocorrem todos os anos no Pacífico.

Não sabemos o tipo de toxina que estes animais libertam, apenas que ataca o sistema nervoso central, e não há antidoto conhecido. O tratamento da síndrome­ de Irukandji baseia-se no alivio dos sintomas. Ainda pensando em ir dar um mergulho nas águas das quentes praias australianas? Melhor não desprezar as placas que sinalizam perigo de "Ferrões Marinhos".





. . . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails