17 de dez de 2016

Menino de 5 anos em estado terminal morre nos braços do Papai Noel após ter último desejo concedido

Um menino de cinco anos de idade, paciente terminal de um hospital no Tennessee, EUA, morreu nos braços do Papai Noel após ter seu último desejo – que era ver o bom velhinho – concedido, de acordo com uma história divulgada no jornal Knoxville News Sentinel.

Eric Schmitt-Matzen, um engenheiro mecânico de 60 anos de idade, que atua como Papai Noel em 80 eventos diferentes todos os anos, disse em entrevista ao jornal Daily Mail, que jamais esquecerá o momento que viveu. Chamado às pressas por uma enfermeira do hospital para atender o pedido, Schmitt-Matzen recebeu da mãe do menino um presente para ser entregue a ele.

Antes de entrar para ver a criança, ele pediu à mãe que não chorasse ou não entrasse no quarto, caso contrário ele também ficaria emocionado e não conseguiria realizar o trabalho. “Quando eu me virei, notei que todos tinham saído”, disse. “Já estavam fora, chorando no corredor”.

16 de dez de 2016

Avó solitária procurando “filha para férias” com todas as despesas pagas

O incrível desenvolvimento da China ao longo das últimas três décadas melhorou a qualidade de vida das pessoas, mas hoje, a solidão e a depressão são os dois maiores problemas da população que envelhece rapidamente e que não tem herdeiro devido a política do filho único vigente nos últimos 40 anos. 

Essas questões foram recentemente trazidas à atenção pública pelo apelo doloroso de uma mulher de 63 anos de idade, à procura de uma moça para acompanhá-la durante as férias com todas as despesas pagas.

- "Eu moro sozinha em Zhengzhou... Eu gostaria de uma menina de coração amoroso entre 19 e 24 anos de idade para viajar comigo para conversar e tirar fotos", escreveu Li Yanling em um post doídamente sincero no WeChat. - "Eu gostaria de ver o mar em Sanya neste inverno, mas tenho medo da solidão de viajar sozinha."

15 de dez de 2016

Diário de Uma Vagina em Salvador

A "CIA QUINTETO DE 4" APRESENTA EM SALVADOR A COMÉDIA:

"DIÁRIO DE UMA VAGINA"

Curta temporada no "Teatro Gamboa Nova" (Largo dos Aflitos)

Dias: 18, 19, 25, 26 (quartas e quintas) de janeiro de 2017

Horário: 20H

CHAME OS AMIGOS E VENHA SE DIVERTIR COM GINA, UMA VAGINA ATORMENTADA PELA VIDA QUE LEVA. 

COM MUITO HUMOR, ELA NARRA SUA REVOLTA COM OS HOMENS E AS AVENTURAS AMOROSAS DA SUA DONA, CONSTRUINDO A A PARTIR DE SUAS EXPERIÊNCIAS UM NOVO CAMINHO PARA REENCONTRAR A FELICIDADE AFETIVA.


Conheça a história do cientista que foi condenado duas vezes à fogueira na Inquisição

Miguel Servet nasceu em 1509 em Huesca, Espanha, de uma família descendente de judeus convertidos. Com habilidades notáveis, que incluíam o conhecimento do idioma grego, latim e hebraico, logo saiu de casa na intenção de dar continuidade aos seus estudos.

Considerado um homem de insaciável curiosidade e grande inteligência, ele se interessava por assuntos relacionados aos campos da Astronomia, Meteorologia, Geografia, Teologia, Jurisprudência, Matemática, Física, Anatomia e Medicina, bem como o estudo da Bíblia, o qual lhe rendeu uma condenação por morte em fogueira.

Em sua fase como Frei Juan de Quintana acabou se tornando confessor de Carlos I, aceitando-o como pupilo. Juntos, eles viajaram pela Itália e Alemanha contatando pessoas associadas à Reforma, que seriam de grande importância. Passada esta fase, ele viajou por algumas cidades da Europa Central, onde as pessoas eram mais voltadas ao protestantismo, e estabeleceu laços fortes, porém considerados controversos, com alguns dos líderes da Reforma, como Johannes Oecolampadius Basel, hereges e anabatistas perseguidos.

Em 1531, já havia escrito seu primeiro livro, em que apontava erros sobre a Trindade, argumentando que os dogmas propostos por ela não eram encontrados na Bíblia, mas sim em especulações de filósofos e teólogos tiradas de inúmeras citações bíblicas.

14 de dez de 2016

Inteligente, bonita e mortal: atiradora soviética foi responsável pela morte de 59 soldados em 1945

Roza Shanina foi uma atiradora soviética que participou da Segunda Guerra Mundial e matou cerca de cinquenta e nove pessoas, incluindo doze soldados durante a Batalha de Vilnius. Shanina entrou para o exército após a morte de seu irmão em 1941 e se dedicou para ser atiradora na linha de frente. Elogiada pelo seu trabalho, Shanina era capaz de atingir precisamente seus inimigos.

Em 1944, um jornal canadense descreveu Shanina como “o terror invisível da Prússia Oriental”. Ela se tornou a primeira atiradora Soviética a ser condecorada com a Ordem da Glória.

De acordo com o relatório do Major Degtyarev, entre 6 e 11 de abril, Shanina matou 13 soldados inimigos. Até maio de 1944, seu registro aumentou para 17 mortes. Shanina foi elogiada por ser precisa e valente. No mesmo ano, em 9 de junho, o retrato de Shanina foi destaque na primeira página do jornal soviético Unichtozhim Vraga.

13 de dez de 2016

Russo usa app de detecção facial para encontrar pessoas que retrata no metrô, e os resultados são assustadores

Your Face is Big Data é um projeto engenhoso, mas um pouco assustador criado pelo fotógrafo russo Egor Tsvetkov. 

Para demonstrar como é simples para um desconhecido reunir informação sobre qualquer pessoa com presença on-line, Egor passou seis semanas fazendo fotografias a esmo de 100 passageiros que encontrava no metro de São Petersburgo para depois utilizar uma aplicação de reconhecimento facial chamada FindFace para encontrar seus perfis na internet.

Utilizando este software open source, escaneou mais de 55 milhões de usuários da VKontakte, a maior rede social russa, e ainda que algumas das fotos não se parecem muito com as dos perfis on-line, Egor foi capaz de encontrar um alarmante 70% das pessoas que fotografou.

- "Meu projeto é uma clara ilustração do futuro que nos espera se continuarmos divulgando tanta informação sobre nós mesmos na internet como fazemos agora" disse o fotógrafo. Nestes tempos em a que as pessoas utilizam as redes sociais mais o que nunca, talvez seja hora de começar a pensar em quanta informação queremos realmente compartilhar com o mundo.

12 de dez de 2016

Conheça o jovem que construiu um reator nuclear no quintal de casa

Os vizinhos de um pequeno bairro residencial de Michigan não deram muito crédito quando as autoridades chegaram até suas casas solicitando sua saída imediata. As ordens eram claras: 40.000 residentes deviam abandonar o bairro, sem saber se algum dia poderiam regressar a seus lares. 

O motivo? Seu vizinho, de apenas 17 anos, havia construído um reator nuclear caseiro no galpão do quintal de sua casa, motivo pelo qual o bairro inteiro foi declarado zona radioativa provisionalmente.

Parece o roteiro de um filme de ficção científica, mas foi um acontecimento real que ocorreu em Michigan, em 1994 (o Daily Mail diz que foi em 1996). O responsável por semelhante cena foi David Hahn, um jovem escoteiro de 17 anos que, empenhado em ganhar sua insígnia sobre energia atômica, se deixou levar por seu entusiasmo e inteligência.

Durante mais de um ano, David desenhou e construiu, a partir de peças recicladas e ferro-velho, um reator nuclear na edícula da casa de sua mãe. Ninguém suspeitava de nada, até que foi detido enquanto roubava pneus para seu projeto. Na caixa de ferramentas que levava em seu carro também encontraram materiais radioativos, o que disparou todos os alarmes e se transformou em um caso de assunto prioritário.

11 de dez de 2016

A notável história dos moradores de Saint Kilda

O remoto arquipélago de Saint Kilda, ao largo da costa oeste do continente escocês, é verdadeiramente um lugar isolado. Localizado a cerca de 64 km a oeste das Hébridas Exteriores, é a parte mais remota das Ilhas Britânicas. A ilha está cheia de rochedos de granito irregulares e altas falésias que carregam toda a força da condição atmosférica selvagem do Atlântico Norte. O vento é tão forte ali que as árvores se recusam a crescer.

Neste clima hostil, uma pequena comunidade se agarrou à sua existência mais básica, sobrevivendo em grande parte comendo aves marinhas e seus ovos. Este grupo extraordinário de homens, mulheres e crianças viveu em um estilo de vida de caçador-coletor, escalando paredões de penhascos para caçar atobás, pardelões-prateados e papagaios-do-mar, e cultivando escassos produtos agrícolas, até as primeiras décadas do século XX.

Depois de milhares de anos de isolamento, toda a população da ilha foi evacuada para o continente para escapar da falência das colheitas, a falta de comunicação e a necessidade de cuidados médicos. A história desses ilhéus e sua gradual perda de auto-suficiência foi objeto de um fascínio duradouro para a Escócia e para o resto do mundo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails