1 de nov de 2014

Molokini, a ilha com forma de lua

Molokini, a cratera vulcânica em forma de lua crescente localizado a menos de três milhas da costa de Maui. A ilhota serve como proteção contra ondas, correntes e vento, o que permite que a água seja incrivelmente clara dentro da cratera.

Com suas águas cristalinas e vida marinha abundante, a cratera submersa é um paraíso submarino para mergulhadores e praticantes de snorkel. Com prósperos corais, cardumes de peixes coloridos, tartarugas marinhas, focas-monge do Havaí e tubarões, um dia passado ali vai deixá-lo com jeito de sonhador.

A cratera, que foi criado há mais de 230.000 anos atrás por uma erupção vulcânica, tem uma história fascinante. Foi usada como um local de pesca pelos primeiros havaianos no século 6 e, como alvo de bombardeio por aviões norte-americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Agora Molokini, bem como uma grande área ao seu redor, é uma área de conservação permanente do Marine Life Conservation District.

Muitos mergulhadores também relatam encontros com tubarões-baleia em Molokini, uma experiência verdadeiramente rara. Estes gigantes gentis, que podem ter até 13 metros de comprimento, são algumas das criaturas mais magníficas do mar.

A próxima vez que você for a Maui, certifique de dar um pulinho até Molokini. Se você é um mergulhador experiente, um praticante de snorkel novato, ou uma aspirante a sereia, esta é uma aventura que não irá decepcionar.

31 de out de 2014

Mendigo que foi criado em lixões e aterros sanitários conquista vaga em Harvard

Com apenas 9 anos de idade, o órfão vítima do genocídio étnico, passou a viver dentro de um carro incendiado em um depósito de lixo em Ruanda, país africano.

Sua vida tornou-se um tormento desde então. Começou a viver como mendigo nas ruas da cidade e não tomava banho há mais de um ano.

Clare Effiong, trabalhadora de uma entidade americana de caridade, viajou pelo país em busca de conhecer histórias de vida para ajudar crianças que se encontravam espalhadas por todas as partes. Neste momento, conheceu Justus Uwayesu, e lhe perguntou qual seria seu maior desejo. Ele respondeu: “Eu quero muito ir pra escola”.

Bem, ele conseguiu ir para a escola e estudar, mas algo ainda mais inesperado ocorreu. Hoje, Justus Uwayesu, faz parte da maior universidade do mundo, Harvard.

Lá ele estuda, através de uma bolsa integral, matemática, economia e direitos humanos. Hoje, com 22 anos (não se sabe a data de seu aniversário real) ele é apenas mais um rapaz sonhador usando seu tênis, jeans e suéter em meio aos 1.667 alunos de sua área.

Na verdade, Justus Uwayesu é um lembrete para a sociedade mundial, que todos podem e devem ter oportunidades e que nem todos que estão nas ruas, perambulando ou vivendo em lixões, são pessoas que gostariam de estar naquela situação.

29 de out de 2014

Antiga prisão com campo de trabalho forçado se transforma em lago

  • Rummu se transformou num paradisíaco lago com águas cristalinas

Localizado dentro de uma pedreira na Estônia, Rummu se transformou num paradisíaco lago com águas cristalinas que guarda parte da história do país submersa. O local serviu durante mais de 50 anos como uma prisão e uma pedreira do regime soviético

A natureza é capaz de apagar até as mais tristes e perversas marcas que o homem pode causar no mundo. Localizado no noroeste da Estônia, o lago de Rummu é um símbolo de superação da ação humana no local. Antes de se tornar um balneário, a região abrigou uma antiga cadeia e uma pedreira durante décadas.

Localizado em Rummu, o lago foi batizado com o mesmo nome da cidade em que está situado. O local que foi apelidado de praia era na verdade uma enorme pedreira que foi abandonada com o fim da União Soviética. Após anos de esquecimento, a cratera com as ruínas da antiga prisão foi inundada com a água da chuva criando uma "praia". Devido a pureza do líquido, o lago ganhou uma tonalidade verde esmeralda que contrasta com as antigas paredes que restaram da penitenciária. Apelidado de "Lagoa Verde" pela população local, as ruínas estão abandonadas desde 1991, ano da desocupação do país pelas tropas russas.

28 de out de 2014

Empresa quer trocar janelas de aviões por telas inteligentes

Em dez anos os aviões comerciais podem perder as janelas e, no lugar, entraria em cena uma série de telas que transformariam toda a sua extensão em uma enorme vitrine para exibir o que se passa do lado de fora.

A ideia foi apresentada pela companhia britânica Centre for Process Innovation (CPI) e tem como objetivo não só dar certa inteligência às paredes ao cobri-las com telas sensíveis ao toque, mas também reduzir o peso dos aviões, tornando-os mais sustentáveis.

Isso porque as janelas exigem uma engenharia complexa para garantir que elas aguentem a pressão do voo e, ao tirá-las do desenho, é possível deixar o avião mais fino. Com menos peso, usa-se menos combustível.

Em entrevista ao The Mirror, o dr. Jon Helliwel, representante da COI, explicou que a cada 1% de redução de peso, o avião economiza 0,75% de combustível.

Ao invés das janelas, então, seriam instaladas telas de OLED. Essa tecnologia já está pronta para assumir a forma arredondada do interior dos aviões, mas é preciso vários ajustes para que a ideia saia do papel. Por isso, espera-se que os aviões sem janelas estejam no ar só daqui a dez anos.

Veja o vídeo de como seria:

Espetacular novo video de “2 cellos”, o duo de cellistas que vai te surpreender

Luka Sulic e Stjepan Hauser, a dupla de cellistas mais conhecidos como "2 cellos", ganhou fama na internet por suas espetaculares versões de grupos de heavy metal, música que não estamos acostumados a ouvir tocado por dois violoncelos. Nesta ocasião, estão surpreendendo todo mundo com a versão mashup de "The Trooper", do Iron Maiden, e a abertura de "William Tell", de Gioachino Rossini.



. . .

26 de out de 2014

Vasinho de luz

  • Simplesmente fiquei apaixonado e quero um para mim

Ele se chama Mökki e foi criado pela designer Caterina Moretti do estúdio mexicano PECA. Mas e o que ele tem de legal?! 

O fato de ser a mistura entre um vaso retangular e uma luminária! 

A ideia é criar a simulação de uma mini-paisagem; com uma casinha e as plantinhas ao redor. A luminária em formato de casa usa lâmpadas de LED e a parte do "paisagismo" fica por conta do freguês. 

O Mökki mede 40 x 30 x 21 cm e tem duas opções de material: ônix e mármore de Carrara. Não sei qual é o valor, pois acaba de ser lançado. 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails