11 de abr de 2015

Gato é resgatado depois de viver cinco anos preso atrás de uma parede

  • Depois de cerca de cinco anos ‘aprisionado’ atrás de uma parede em uma estação de metrô do Cairo, no Egito, um gato foi salvo de seu “túmulo” e trazido à luz do dia.

Isso graças a um homem idoso que o alimentou todos os dias durante todos esses anos e um grupo de ativistas que fez pressão para libertá-lo.

Tudo começou em 2010, quando o gato encontrou um esconderijo entre a superfície externa da parede mas foi enclausurado por acidente durante a instalação de um sistema de extintores de incêndio na estação de metrô Mohamed Naguib, no centro de Cairo. Os locais contam que o gato entrou na fenda após correr ferozmente do ataque de um cachorro e, por medo, não saiu mais. O gato foi espremido em um buraco na parede e não saiu novamente. O cuidador do gato durante esses anos, conhecido como Tio Abdo, proprietário de uma loja de óculos do lado de fora da estação, até apelidou o gato de Biso.

"Quando nós removemos a parede, um cheiro muito ruim surgiu a partir do buraco, que era de 15 centímetros de largura e quatro metros de comprimento. Era como uma tumba. Havia vermes ao longo dos quatro metro, onde o tio Abdo foi capaz de colocar alimentos para Biso”, disse Mounira Shehata, um ativista dos direitos dos animais que participou do resgate.

Em 12 de março, alguém postou uma foto da cauda de Biso pendurada atrás da parede na página do Facebook chamada "Help and rescue homeless animals (Ajuda e salvamento para animais de rua)", reclamando que ele próprio não poderia quebrar a parede para libertar o gato, pois seria considerado sabotagem de bens públicos.

10 de abr de 2015

Pássaros artesanais feitos com madeira e papel por Zack Mclaughlin

O artista baseado em Londres Zack Mclaughlin constrói incríveis pássaros realistas a partir de madeira e folhas de papel recortadas. 

O arrebatamento com o mundo natural levou Mclaughlin a explorar diferentes tipos de modelamentos 3d e em sua página no DeviantArt ele conta que desde a mais tenra idade gostava da criação de coisas, fosse um brinquedo, desenho ou pintura, e a sua inspiração sempre encontrou motivos através de um senso quase infantil de admiração e reverência das coisas naturais.

No entanto ele começou a fazer estas esculturas apenas há um par de anos atrás, a primeira foi dedicado aos filhos que liam um livro que contava a história de um menino que fez um pássaro de papel e voou para longe nele.

8 de abr de 2015

Chinês passou os últimos 18 anos na estrada à procura de seu filho desaparecido

  • A história de Guo Gantang, de 45 anos, ganhou notoriedade nas mídias sociais da China, espalhando-se pelo mundo.
Isso porque o homem passou os últimos 18 anos na estrada, em busca de seu filho desaparecido.

O calvário de Guo começou em 21 de setembro de 1997, quando Guo Zhen, seu filho de dois anos de idade, foi raptado do portão da frente de sua casa, em Liaocheng, província de Shandong. De acordo com uma menina que estava brincando com ele, Zhen foi roubado por uma mulher de meia-idade. Desde então, o pai com o coração partido tem dedicado sua vida a encontrar o menino. Guo tem viajado mais de 400.000 quilômetros por todas as províncias da China, exceto no Tibete, já desgastando 10 motocicletas no processo.

Na esperança de que alguém possa reconhecer o menino e lhe dar algumas informações úteis, Guo sempre carrega duas bandeiras com uma foto antiga do garoto amarradas em sua moto.

Guo Gangtang, um homem jovem de vida estável, agora tem um rosto enrugado cobertos de marcas de todos os anos em que passou na estrada. Seus olhos revelam toda a dor e angústia que ele sofreu por quase duas décadas. A família Guo nunca tirou uma foto de família desde o sequestro.

6 de abr de 2015

7 tesouros históricos encontrados por acaso

A maioria dos arqueólogos admite que uma boa dose de sorte é crucial na procura de relíquias históricas. Na verdade, alguns dos mais valiosos tesouros arqueológicos do mundo só foram descobertos porque pessoas leigas tropeçaram em cima deles por acaso. Alguns destes achados fortuitos estavam sendo procurados por séculos, mas outros, eram totalmente desconhecidos e ajudaram na elaboração de reinterpretações radicais da história. Abaixo, leia sobre sete casos que levaram à descobertas de valor inestimável para a humanidade.


1 – As Cavernas de Lascaux

Em setembro de 1940, quatro adolescentes franceses andavam pela floresta perto de Montignac, quando o cachorro deles começou a farejar em torno de um misterioso buraco no chão. Ao descerem pelo que parecia um poço de  pedra, os meninos se depararam com uma vasta caverna subterrânea cujas paredes estavam adornadas com cerca de 2.000 pinturas antigas. Atônitos, os adolescentes inicialmente concordaram em explorar a gruta em segredo, mas depois, acharam por melhor informar a descoberta para a professora deles, que convenceu um especialista em cavernas a verificar autenticidade da história. 

Em pouco tempo, a notícia da requintada coleção de desenhos de animais e símbolos abstratos da caverna de Lascaux havia se espalhado por toda a Europa, tornando o local conhecido como a “Capela Sistina da arte pré-histórica.” Os especialistas mais tarde calcularam a idade das pinturas em cerca de 15.000 a 17.000 anos, e muitos acreditam que a caverna havia sido o local de ritos religiosos e de caça entre os povos do Paleolítico Superior.

5 de abr de 2015

O americano que acordou um vulcão

Numa manhã de abril de 1974 o senhor Porky acordou e sussurrou a sua mulher Patty: "Mulher, se prepara que hoje é o dia". Sua mulher lhe cutucou enquanto coçava a cabeça: "Já pensou bem no que vai fazer?" Que estavam tramando o senhor Porky Oliver Bickar e senhora? O novo roteiro para um filme da Fox? Não, estavam dispostos a fabricar a maior das palhaçadas da história do Alaska.

O senhor Porky já havia calculado tudo meticulosamente e iria criar um trote que daria a volta ao mundo marcando o local para sempre. Ele decidiu que iria acordar o vulcão do Mount Edgecumbe.

O vulcão Edgecumbe está situado ao sul da Ilha de Kruzof, no Alaska, e é o ponto mais alto da zona com quase 1.000 metros de altura. É um vulcão meio morto, sua última atividade data de aproximadamente uns 4.000 anos, segundo o "Alaska Vulcano Observatory" isso até a manhã do primeiro de abril de 1974, por suposto, dia da mentira.

E como fazer um vulcão inativo há mais de 4.000 anos entrar em atividade? Pois enganando ao besta, com uma gigantesca fogueira a base de centenas de pneus e gasolina. E como levar a gasolina, os pneus, cordas e demais até a altura de mil metros? Pois também em grande estilo, com um grande sorriso e um bom helicóptero. 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails