13 de jun de 2015

Invento incorporado nos carros poderia salvar muitas vidas

Os acidentes por atropelamento são uns dos mais frequentes nas cidades de todo o mundo. Muitas vezes estes percalços se devem ao péssimo estado da estrada, dos pneus ou a condições adversas como a neve ou chuva. 

O caso é que a esses inconvenientes se somam a velocidade de reação do motorista, a distância de frenagem do veículo e a velocidade de deslocamento do automóvel. Muitos fatores a ter em conta que dão lugar aos já citados acidentes.

Se todos (pedestres e motoristas) cumpríssemos corretamente com as normas de circulação, diminuiriam os acidentes em geral e deste tipo em particular, mas mesmo assim sempre existe o risco de que algo assim aconteça.

Os freios às vezes não são suficientes à hora de enfrentar um imprevisto destas características, por esse motivo a empresa sueca Autoliv, inventou o freio Torricelli, que é composto de uma placa de 0,3 m2 situada em debaixo do carro. Esta placa está ligada a um tubo aspirador.

12 de jun de 2015

18 curiosidades sobre peidos que você precisava saber

  • UMA HOMENAGEM AO DIA DOS NAMORADOS


1. O que é o flato? Do que ele é feito?

Flato, do latim flatus, significa sopro e é uma composição de gases altamente variável, expelida pelo ânus.

É formado por parte do ar que engolimos, que é quase só nitrogênio e dióxido de carbono, pois o organismo absorve o oxigênio, e gases resultantes das reações químicas entre ácido estomacal, fluidos intestinais e flora bacteriana.

Ou seja, dióxido de carbono, hidrogênio e metano.

2. O que faz os peidos federem?

O odor dos peidos vem de pequenas quantidades de sulfeto de hidrogênio (gás sulfídrico) e enxofre livre na mistura.

Quanto mais rica em enxofre for sua dieta, mais desses gases vão ser produzidos pelas bactérias no seu intestino e mais os seus peidos vão feder.

Pratos como cebola, couve-flor e ovos são notórios por produzirem peidos fedidos. Feijão, por exemplo, produz grandes quantidades de peidos não necessariamente fedidos.

11 de jun de 2015

'Um pé por US$ 200': o estranho mercado de cadáveres nos EUA

  • Alta demanda da indústria de pesquisa médica acabou criando cerca 20 empresas no país

A alta demanda por parte de empresas de pesquisa médica e de indústrias que fabricam aparatos cirúrgicos, além dos programas universitários de medicina, fez surgir um mercado curioso nos Estados Unidos: o de cadáveres.

Esses setores precisam de corpos para o trabalho com órgãos e tecidos humanos e continuarem desenvolvendo suas pesquisas. Antigamente, a fonte desse recurso eram doações em vida de pessoas que manifestavam o desejo de terem seus corpos contribuindo com a ciência após a morte.

Mas isso não dá conta da demanda. Com a oportunidade de negócio, surgiram empresas dedicadas à comercialização de tecidos humanos ou corpos.

Uma equipe da BBC investigou o tema de perto.

8 de jun de 2015

Garoto de 8 anos deixou seu cabelo crescer para doá-lo a crianças com câncer

Há 2 anos e meio, Christian McPhilamy, com então 6 anos, disse a sua mãe que queria deixar o cabelo crescer, mas não era por capricho e nem um vontade fugidia; ao contrário, o garoto tinha um objetivo nobre e digno de todo o respeito. 

Durante este tempo, o garoto era motivo de chacotas na escola e muitas vezes foi confundido com uma menina, mas ele nunca mudou de ideia porque tinha a meta muito especial: doar 25 centímetros de sua melena para fazer perucas para crianças em tratamento de câncer.

Tudo começou quando Christian, que vive na Flórida, se sentiu inspirado com um anúncio do Hospital Infantil de Pesquisas St. Jude que viu na TV.

- "Algumas pessoas diziam que eu parecia uma menina", dizia Christian a mídia local. Ele conta que isto lhe deixou um pouco chateado, mas nunca lhe impediu de completar sua missão e doar seu cabelo á causa.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails