18 de set de 2012

Deu a louca no tempo


  • Chuvas diluvianas, ondas de calor intermináveis, tornados em série. Não há como negar que o clima no planeta está diferente. Afinal, o que está acontecendo?

É fato que houve alteração no clima.

Julho de 2010. Um dilúvio desaba nos arredores de Glasgow,
em Montana. “A sensação era de que, se ficasse ali no meio
e olhasse para o alto, as portas do céu se abririam”,
diz o fotógrafo Sean Heavey
Eventos extremos, tal qual a inundação em Nashville – descrita pelas autoridades como algo que ocorre apenas uma vez por milênio –, acontecem com frequência cada vez maior. 

Um mês antes da enchente na cidade americana, tempestades torrenciais despejaram 28 centímetros de chuva sobre o Rio de Janeiro em um único dia, provocando deslizamentos de encostas e centenas de vítimas fatais. 

Três meses depois de Nashville, uma quantidade excepcional de chuva no Paquistão causou enxurradas que impactaram 20 milhões de pessoas. No fim de 2011, inundações na Tailândia deixaram sob as águas centenas de fábricas perto de Bangcoc, o que desencadeou uma escassez mundial de discos rígidos para computador.

Não são apenas as chuvas pesadas que ganham manchete. Na última década, secas terríveis assolaram regiões como o oeste dos Estados Unidos, Austrália e Rússia, assim como a África Oriental, onde dezenas de milhares de pessoas tiveram de se refugiar em acampamentos improvisados. Ondas de calor letais atingiram a Europa e uma quantidade recorde de tornados foi registrada nos Estados Unidos. Os danos causados por esses eventos contribuíram para elevar o custo dos desastres climáticos em 2011 para 150 bilhões de dólares ao redor do mundo, um salto de 25% em relação ao ano anterior. Em 2008, só nos Estados Unidos, um recorde de 14 eventos causaram, cada um, prejuízo de mais de 1 bilhão de dólares.

Seja como for algo está acontecendo, confira algumas fotos do National Geographic:


 Em 5 de julho de 2011, a maior tempestade de areia de que se tem notícia avança sobre Phoenix, no Arizona. A visibilidade é reduzida a zero. Uma muralha de pó com 1 500 metros de altura é erguida



 A água do lago Geneva forma uma camada de gelo sobre carros, árvores e o passeio público durante intensa onda de frio em fevereiro de 2012. Um incomum desvio para o sul da corrente de jato polar chega à África, o que leva massas do ar ártico e neve à Europa e mata centenas de pessoas



 Nashville, Tennessee, 2 de maio de 2010. Jamey Howell e Andrea Silvia são surpreendidos pela inundação, que submerge a perua do casal. Os filhos agarram-se ao teto por uma hora. Sob o olhar impotente dos pais, são carregados pelas águas. Cerca de 1 quilômetro adiante se seguram à margem e sobrevivem



 O tornado veio a 209 quilômetros por hora. Mas não o suficiente para afugentar o fotógrafo Mike Hollingshead. O caçador de tempestades registrou este em 20 de junho de 2011, perto de Bradshaw e da Interestadual 80, em Nebraska, onde vagões de carga foram descarrilados



 A chuva cai em cascata sobre um morador de Chengdu, que corre apressado pela escada de uma garagem subterrânea. A precipitação volumosa aconteceu em 3 de julho de 2011, inundando ruas e provocando corte de energia na cidade, capital da província de Sichuan



Arbustos secos encalham nos sulcos de uma plantação de algodão sem cultivo nas imediações de Brownfield, a sudoeste de Lubbock. Ventos fortes e uma onda de calor sem precedentes causaram erosão grave, diz Buzz Cooper, dono de um descaroçador de algodão na vizinhança. “Era como um ventilador quente num forno”, ele diz




. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails