7 de jun de 2011

10 questões sobre o melhor amigo do homem

  • Saiba mais sobre seu cãozinho

Registros apontam que o melhor amigo do homem, que hoje tem direito a roupa, sapato e até esmalte, já era domesticado desde a Roma Antiga. Mas se você pensa que sabe tudo sobre história, manias e curiosidades do seu amigo de quatro patas, pode se surpreender. Os cães enxergam cores? Eles transpiram pela língua? Por que os cachorros enterram a comida e correm atrás de automóveis? Existem cães homossexuais? Especialistas da veterinária respondem essas e outras curiosidades. Confira.

  • 1 - Os cães enxergam cores?

Já se pensou que os cachorros enxergassem apenas em preto e branco. Porém, hoje se sabe que a maioria dos animais domésticos enxerga cores, só que não exatamente como nós. "Comparando com seres humanos, os cães possuem apenas 10% de cones, que são as células presentes na retina, responsáveis pela formação das cores", explica a oftalmologista veterinária Fabiana Quartiero, que mantém o site Oftalmologia Animal.

Os humanos costumam apresentar três tipos de cones: vermelho, verde e azul. Já os cachorros possuem apenas dois: um semelhante à cor violeta, que corresponde ao cone azul dos humanos, e outro semelhante ao tom amarelo esverdeado, relacionado ao cone vermelho. Por não apresentarem cones verdes, os cães podem confundir cores vermelhas e verdes. Assim, na presença de vermelho, verde, amarelo e laranja, o animal enxerga sempre amarelo-esverdeado.

  • 2 - Por que cães comem grama quando se sentem mal?
Apesar de parecer estranho, comer grama faz parte da natureza do cachorro. Porém, isso realmente só ocorre quando eles se sentem mal. Rubens Carneiro, professor de veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explica que o intestino canino não digere celulose, presente na grama. Assim como para os seres humanos, a ingestão de fibras ajuda na melhora do movimento intestinal, o que facilita a evacuação.

Mitika Hagiwara, professora colaboradora do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Veterinária da Universidade de São Paulo(USP), afirma que, por não digerir a celulose, a grama causa uma irritação gástrica. O cão procura ingeri-la quando sente uma indisposição. “Assim, ele consegue induzir o vômito”, completa. Na falta de grama, o cachorro leva mais tempo, porém ainda assim consegue vomitar.

  • 3 - Quais são as melhores atitudes em caso de um ataque de cão?

Para não ser atacado, o ideal é ficar em "posição de árvore", como explica a veterinária Ceres Faraco, doutora em psicologia. A especialista conta que a pessoa deve ficar totalmente imóvel, com as pernas fechadas. Os braços precisam estar para cima, evitando que o cão possa mordê-los. Também é altamente recomendado que se olhe para o alto, evitando contato visual com o animal. "Ao se encarar o cachorro, este pode interpretar o olhar como um desafio", afirma.

Claro que, para evitar o instinto de correr, é preciso ter sangue frio. Especialmente porque a posição de árvore só faz sentido se o cão tiver o que Ceres chama de "comportamento estável". “Esse movimento de caça é normal, mas alguns cães são imprevisíveis, por problemas de origem psicológica", pondera. Ceres destaca que isso não tem relação com as raças caninas. Existem, por exemplo, pit bulls mansos e labradores violentos.

  • 4 - Por que os cães enterram a comida?

Assim como os seres humanos colocam as sobras do almoço na geladeira, os cães guardam embaixo da terra o seu alimento. É um instinto primitivo, de proteger a posse. "Depois que já comeu e está satisfeito, o cão enterra pedaços de carne ou de osso para comer mais adiante", afirma o professor de veterinária da UFMG, Rubens Carneiro.

O cachorro não enterra a comida sempre no mesmo lugar, mas memoriza o local ou a encontra pelo olfato. Apesar de essa ser uma prática comum entre os cães, é possível que eles adquiram uma doença bastante séria. Chamada de botulismo, é causada por uma bactéria presente na terra, que se incorpora na comida. A toxina provoca paralisia muscular e pode levar à morte. Por incrível que pareça, a toxina botulínica é a mesma substância utilizada nos tratamentos de botox, só que em menores quantidades.

  • 5 - Por que os cães ficam tanto tempo com a língua de fora?

É comum se dizer que o cão sua pela língua, mas isso não é verdade. Enquanto o ser humano tem glândulas para a transpiração por todo o corpo, no cachorro elas se localizam apenas nas patas. 

Para regular a temperatura interna, o animal fica de boca aberta. "Assim, o ar quente sai. É como a ventoinha de um carro", compara o professor Rubens Carneiro.

A professora colaboradora do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Veterinária da Universidade de São Paulo (USP), Mitika Hagiwara, explica que, para dissipar o calor, os cachorros costumam respirar rapidamente pela boca. 

Já o focinho é por onde ele respira normalmente, quando o cão está mais tranquilo, sem necessidade de dissipar o calor.

  • 6 - Como surgiram as raças de cães?

Todos os cães surgiram de um canino primitivo, parecido com o lobo. Fernando Bretas, professor de cinotecnia na Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), conta que não se sabe se o homem domesticou esses animais ou se eles se aproximaram do homem para conseguir restos de alimento. 

Porém, se sabe que foi o homem quem deu um "empurrão" ao longo dos séculos para a formação das raças, sempre buscando uma finalidade específica, como caça e pastoreio. A seleção às vezes veio por causa de um defeito genético, como no caso do Basset Hound, que é uma versão de patas curtas do blood hound.

Na Roma Antiga, por exemplo, o rottweiler já fazia companhia aos romanos como um bom cão de guarda. Já entre os séculos 17 e 19, os cachorros do grupo de raças terrier foram muito utilizados na Inglaterra para combater uma abundância de ratos que havia tomado conta do país, já que são altamente desenvolvidos para caçar ratazanas.

  • 7 - Existem cães homossexuais?

Essa pergunta é difícil de responder, de acordo com a veterinária Ceres Faraco, doutora em psicologia, mas ela diz que é possível encontrar tendências homossexuais em alguns cães. 

"Existem animais que são sexualmente passivos, que podem permitir a cobertura", explica. Isso não significa que eles permitam o ato sexual completo. O mais comum, entre animais do mesmo sexo, é a masturbação, em que um cão faz movimentos pélvicos sobre o outro.

Entretanto, Ceres conta que é difícil comparar o comportamento dos cães com o dos seres humanos. "A conotação de relação homoafetiva não existe entre os cachorros, porque eles não têm parceiros fixos", diz.

  • 8 - Por que os cães correm atrás de carros?

Essa prática tão comum entre os cachorros vem de um resquício do instinto predador. 

O movimento de carro ou de motocicleta aciona esse instinto, e o animal tem a tendência de persegui-lo e até morder os pneus.

Correr atrás de carros também pode ser apenas uma brincadeira para o animal. "O cão é uma das espécies que conserva o espírito lúdico mesmo quando adulto", explica Ceres Faraco, veterinária e doutora em psicologia. 

A evolução canina manteve o brinquedo, por isso o cachorro se diverte correndo ou buscando uma bola.


  • 9 - Vira-latas são mais resistentes a doenças e vivem mais que cães de raça?

Não necessariamente. Não são os vira-latas que têm mais resistência e sim, os animais de rua. "Porque eles têm mais contatos com agentes infecciosos, e os que conseguem sobreviver, tornam-se mais resistentes", explica Mitika Hagiwara, professora colaboradora do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Veterinária da USP.

Na verdade, por vir de mais de uma raça, o vira-lata pode ter até mais problemas de saúde. 

O professor de veterinária da UFMG, Rubens Carneiro, conta que cada raça tem as suas debilidades específicas. "O boxer costuma ter problemas cardíacos; o pincher, de articulação, o poodle, de pele, e o schnauzer, de rins", exemplifica.

  • 10 - Qual é o sentido mais apurado dos cães?

Provavelmente é o olfato. Enquanto as células olfativas do homem chegam a 5 milhões, as do cão atingem 220 milhões. Assim, um cachorro consegue sentir um cheiro a mais de 1 km de distância, o que ajuda, por exemplo, a encontrar fêmeas no cio. 

A audição canina também é bastante apurada, conseguindo escutar até infrassom e ultrassom.

Em ambientes com pouca luz, os cachorros podem ver melhor que os humanos. 

A oftalmologista veterinária Fabiana Quartiero explica que esses animais possuem mais bastonetes (células especializadas presentes na retina que são responsáveis pela visão noturna) do que cones (célula responsável pela formação das cores).



. . . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails