26 de set de 2016

O jovem mais alto do mundo mede 2,37 metros, e segue crescendo 15 centímetros ao ano

Broc Brown é o nome deste jovem de 19 anos oriundo de Michigan que está crescendo a um ritmo de 15 centímetros por ano e que segundo os médicos, talvez, nunca deixe de fazê-lo. 

O que significa que, após estabelecer o recorde de adolescente mais alto do mundo, se seguir crescendo também poderia estar perto de ser o homem mais alto do mundo. Ainda assim dificilmente superará o maior homem que já pisou a terra, o simpático e doce gigante Robert Wadlow, que alcançou a inacreditável estatura de 2,74 metros em decorrência da acromegalia.

Aos 5 anos foi Broc foi diagnosticado com a Síndrome de Sotos, quando disseram a sua mãe que não superaria a adolescência.


Também conhecida como gigantismo cerebral, esta doença é uma desordem genética que afeta uma pessoa em 15 mil. E no caso de Broc, também trouxe consigo outros problemas como dificuldades de aprendizagem, tensão em seu coração, uma curvatura na coluna vertebral e uma estreitamento da medula espinhal.

Broc também nasceu só com um rim, motivo pelo qual não pode tomar analgésicos que o ajudem a lidar com a constante dor nas costas. Ele espera que algum dia os médico possam resolver este problema.

Outros dos grandes problemas que teve que superar é caro custo que resulta vestir uma pessoa tão grande.

A família de Broc inclusive realizou campanhas de arrecadação de fundos para poder custear sua roupa que é praticamente toda feita à medida, bem como também sua cama e sua cadeira, que foi fabricada para ele por um especialista.

Apesar do que prognosticaram em princípio, os médicos acham que agora Broc poderá ter uma vida normal. Sobretudo o Dr. Bradley Schaefer, um doutor especializado na Síndrome de Sotos, que foi capaz de assegurar-lhes que Broc teria que viver com algum tipo de dor de costas durante toda sua vida, mas que fora isso poderia viver sem problemas.

A notícia deixou Broc muito contente, já que seus planos agora incluem ter seu próprio trabalho e seguir desfrutando com sua família.

Muitos apostam que Broc poderia no ano que vem superar a altura do turco Sultan Kosen, o homem mais alto do mundo com 2,49 metros de estatura. Mas se o médico afirma que a partir de agora ele terá uma vida normal quer dizer que ele parará de crescer.




Na verdade existe alguma coisa estranha com este diagnóstico. Segundo leio em alguns prontuário médicos a Síndrome de Sotos se manifesta apenas nos primeiros anos de vida e depois a taxa de crescimento fica normal. No caso de Broc, alguma coisa está fora dos padrões conhecidos pela doença.

Mas vamos torcer para que pare mesmo de crescer e que em fim tenha uma vida (quase) normal. Pois como disse certa vez Leonid Stadnyk, o segundo homem mais alto que já pisou o planeta: 

- "Recorde Guinness não paga minhas contas e nem custeiam minhas despesas médicas". Leonid pode sim ter superado Robert Wadlow em altura e ter se tornado o homem mais alto da terra, mas nunca vamos saber. 

A última vez que fez uma medição, seis anos antes de morrer, estava com 2,60 metros e sua cirurgia endoscópica para remoção de tumor de hipófise não foi bem sucedida, de modo que continuo crescendo. Depois que brigou com a organização do Guinness nunca mais permitiu que alguém se aproximasse dele com uma fita métrica.





Fonte



. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails