8 de jan de 2011

Por que Brasília não tem prefeito?

  • Quem mora na capital nacional, Brasília, não vota para prefeito

Durante as eleições municipais, todas as cidades brasileiras elegem seus representantes, seja para a Câmara Municipal com os Vereadores, seja para o principal cargo de um município, o Prefeito. Todas, no caso, dos 26 Estados da federação. No Distrito Federal, é diferente. Quem mora na capital nacional, Brasília, e em suas cidades-satélite, só exerce seu principal direito de cidadão em eleições para presidente, governador, senador e deputados. Mas quem é a principal figura governante em Brasília, então?

Ao eleger um governador, o povo do DF elege, também, seu "prefeito". O governador eleito é quem dirige a capital. Já as macrorregiões do DF têm seus representantes indicados pelo governador. Cada macrorregião é dividida em outras microrregiões, que também têm seus representantes indicados.

Pergunta esclarecida, há algumas curiosidades. A maior delas: Brasília já teve prefeito. A capital nacional possuiu prefeitos durante alguns anos. A Prefeitura do Distrito Federal foi criada em 1960, durando até outubro de 1969. Após esse período, exatamente no dia 17 de outubro, foi criado o Governo do Distrito Federal, que substituiu a prefeitura.

Até 1990 o governador e os prefeitos eram eleitos pelo Governo Federal. Neste ano, ocorreram as primeiras eleições para governador e deputados. Deputados Distritais, é claro.

O primeiro prefeito de Brasília foi Ismael Pinheiro da Silva. O primeiro Governador, Hélio Prates da Silveira.
Mesmo sem eleições municipais, os cidadãos do DF podem ser convocados para serem mesários. Em 2008, 3878 pessoas foram chamadas. Eles devem trabalhar no dia do pleito mesmo sem votar pois há a necessidade de justificativa do voto para eleitores de fora do DF que estão no DF no dia.

Outra curiosidade sobre a nossa capital: ela é Estado ou Município? Segundo o texto constitucional, o Distrito Federal é uma unidade da Federação que é um Estado e também um Município com as competências legislativas reservadas aos dois. Daí a natureza singular de Brasília.

5 comentários:

Anônimo disse...

que bosta

Clara Maria disse...

Se vc acha uma informação dessa uma bosta, fico imaginando o que uma criatura que nem vc anda lendo na internet. Um post esclarecedor, eu mesma não sabia, garanto que vc também não. Maldita inclusão digital.

Rodrigo Siqueira disse...

Interessante gostei...

Anne. disse...

Oi. Sou de BSB, moro em uma das cidades satélites. Aqui na minha cidade, ouvi rumores sobre fazer um abaixo-assinado para que cada cidade satélite tenha uma prefeitura, e não o que chamamos de administração. O que nas outras cidades não acontece e aqui sim, é que o planejamento do dinheiro enviado para cidades, não parte, no caso, da maior chefia da cidade, o administrador, mas sim do Governador. Apenas manda-se a grana já com o projeto estabelecido. Então se por exemplo, na minha rua abrir uma cratera pela chuva, ou se a escola está com crianças até no teto, a única coisa que se deve fazer é esperar que o Governador abra os olhos pra isso (o que geralmente não acontece). E isso é o de menos. Para as regiões administrativas mais novas e pobres, a preocupação de saneamento, segurança, saúde e educação são terríveis. Na capital do país, que diz-se ter uma das melhores qualidades de vida do Brasil, temos situações de descaso imenso.

Bertolucci disse...

Anne, valeu pela participação. Nada melhor do que ver o lado de quem realmente vive a situação. Não conheço Brasilia e não sabia que a situação daí chegava a esse ponto. Muito esclarecedor seu comentário.

Abraços e mais uma vez obrigado pela participação.


EDITOR DA MIB

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails