1 de jul de 2012

A história inacreditável do pior avô do mundo


  • Você acha que sua família é problemática, conheça então essa família



O que você seria capaz de fazer se soubesse que um parente próximo (irmão, mãe, filho) foi seqüestrado? Provavelmente, a maioria de nós faríamos o impossível para resgatá-lo, estou certo? 

Mas, há quem fuja dos parâmetros mesmo em situações como esta, como aconteceu com Jean Paul Getty, um empresário estadunidense multimilionário dono da companhia Getty Oil.

Tudo aconteceu em 10 de julho de 1973, quando Jean Paul Getty III, de 16 anos, filho de Paul Getty II e da atriz Gail Harris, que haviam se separado há pouco, foi sequestrado em Roma, onde vivia com sua mãe. Quatro meses depois de seu sumiço, a família recebeu uma carta com uma mecha de cabelo e uma orelha amputada de Jean Paul III; os sequestradores pediam 17 milhões de dólares para soltá-lo.

- "Arrume o dinheiro em Londres", disse um dos captores a sua mãe por meio de uma chamada telefônica, referindo-se a seu pai e, por suposto, ao avô multimilionário.


A princípio tudo era meio confuso, as investigações policiais não indicavam nada conclusivo e, Jean Paul, tinha uma vida desregrada, estilo riquinho rebelde arruaceiro, que fazia com que a maioria dos familiares duvidassem sobre a veracidade do seqüestro: foi expulso de sete escolas; foi preso por carregar uma bomba molotov durante uma manifestação e, até, havia posado nu de maneira erótica, todo um escândalo para os Getty. 

Exatamente por estes fatos, em princípio não deram muita importância às primeiras mensagens dos seqüestradores. Junte-se ao fato de que o avô não era necessariamente conhecido por ser mão aberta.

Getty caracterizava-se por ser um homem excêntrico, mulherengo, intratável e avarento, pois nenhum membro da família conseguia receber um centavo do sovina. Inclusive, a mídia dizia que, em sua própria casa havia uma cabine telefônica para cobrar por cada chamada que qualquer um dos parentes fizesse.

Sua avareza levou-o a não querer pagar os milhões solicitados pela vida do neto, dizendo que tinha outros 14 e que, se aceitasse aquela chantagem, teria que se sujeitar a outros 14 netos sequestrados.

Para piorar a situação, a relação de Jean Paul II, o falido playboy pai do sequestrado, com o patriarca da família era bem tensa, de modo que esse foi um ponto que não favoreceu em nada o jovem de 16 anos. 

- "Não vou pagar nada, nem ceder a chantagem", era a única resposta que os seqüestradores recebiam, até que mandaram a orelha e a polícia recomendou que negociassem o pagamento. 

O multimilionário Getty disse que só estava disposto a dar 2.2 milhões de dólares, quantidade que seus assessores financeiros haviam recomendado; pois era o montante máximo pelo qual poderia se beneficiar nas reduções fiscais, quando fosse o tempo de pagar os impostos.

Ao final, depois de muita choradeira de Getty II, o milionário cedeu o empréstimo de 2.9 milhões de dólares, com a condição de que esse valor era só um empréstimo que deveria ser devolvido por completo com 4 por cento de juros ao ano.


Um mês depois, em 15 de dezembro de 1973, o resgate de Jean Paul III foi pago, que de imediato foi liberado no sul da Itália.

Após a amarga experiência, tratou de agradecer seu avô, mas este não quis vê-lo e recusou se até mesmo a atender telefonemas do neto; enquanto, seu pai tentava pagar sua dívida.

Paul Getty casou-se com a fotógrafa Martine Zacher, relação que o avô fdp não concordava; inclusive, esse foi o motivo para deserdá-lo. Mas não foi ao único, o filho, Jean Paul II, também não foi incluído em seu testamento por não honrar a dívida.


Getty III mudou-se para Nova Iorque, onde conheceu os artistas do The Factory, isto é, Andy Warhol e seus amigos. Depois mudou-se para Los Angeles, mas já tinha problemas com o álcool e drogas, o que o levou, em 1981, a uma overdose que o deixou tetraplégico, cego de um olho e sem possibilidade alguma de falar.

Quando isto aconteceu, sua mãe e ele processaram o velho Getty para que assumisse as despesas médicas, algo em torno de 25 mil dólares ao mês. 

Mas, ele não aceitou pagar nem um centavo, preferindo fazer doações de até 150 mil dólares a fundações culturais. Alegava que nunca recebeu o dinheiro do empréstimo e que assim o neto já havia levado o seu quinhão com o dinheiro do sequestro.

Passaram se os anos e Getty III nunca conseguiu receber nem mais um tostão do Avô e teve que se arranjar até sua morte em 5 de fevereiro do ano passado (2011), quando tinha 54 anos.








. . .

3 comentários:

O Bicheiro disse...

E os sequestradores foram pegos?

Anônimo disse...

cara legal esse post.de onde vc pegou essa história?hidden wiki?

Anônimo disse...

Haha, muito interessante! :D


Mas de boa, eu não pagaria pelo tratamento do neto tbm não. Playboyzinho fdp, se envolveu com dorgas e bebidas... 25mil por mês pra ajudar ISSO?? VSF!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails