13 de fev de 2014

Tesouros reais, ainda intocados e malditos da história da humanidade

  • Eles existem, mas não é nada fácil conseguir obtê-los


Tesouros escondidos em locais de difícil acesso e cercados por armadilhas mortais. Parece roteiro do filme do Indiana Jones, mas não é: verdadeiras joias perdidas ainda podem fazer a fortuna de muitos, contudo, buscar estas riquezas não garante aos aventureiros o final feliz do cinema. Veja abaixo porque algumas fortunas perdidas ao longo do tempo ainda permanecem intocadas ou envolvem algumas batalhas judiciais que se arrastaram por anos.

Veja alguns casos:

  • Tesouro da fragata Nossa Senhora das Mercedes

No ano de 1804, um navio britânico afundou este barco espanhol, recheado de tesouros. A embarcação foi encontrada na costa de Portugal por uma empresa norte-americana, em 2007. No entanto, o carregamento do barco não pode ser removido e teve início uma longa batalha judicial com o governo espanhol, que acabou vencendo a disputa em 2012, alegando que o tesouro era uma herança cultural de valor incalculável, que nunca poderia ser vendido.

  • Tesouro da fragata Nossa Senhora de Atocha

Este navio espanhol afundou na costa da Flórida, em 1622, após enfrentar um furacão em alto-mar. Quase toda a tripulação morreu, e junto estava um carregamento de prata, ouro, pérolas, esmeraldas e outras mercadorias do “Novo Mundo”. O tesouro do barco foi encontrado em 1985, pelo experiente mergulhador Mel Fischer, após 16 anos de buscas. Após a descoberta, o Estado da Flórida alegou direitos sobre o navio e forçou Fisher a dar 25% do tesouro encontrado para o governo. Depois de oito anos de litígio, a Suprema Corte dos EUA decidiu em favor de Fisher em 1 de julho de 1982. O mergulhador morreu em 19 dezembro de 1998. Acredita-se que ainda há partes do tesouro que estão desparecidas pelo oceano. 



  • Tesouro de Oak Island

Esse tesouro ainda não foi encontrado e, desde 1795, quando foi descoberto, muitos tentaram em vão resgatá-lo ao longo dos séculos. Oak Island é uma pequena ilha no Condado de Lunenburg, na parte sul da Nova Escócia, Canadá. Acredita-se que ali esteja um tesouro dos Templários. Muitos já morreram na tentativa de resgatar “o pote de dinheiro”, que estaria a 60 metros de profundidade. Contudo, a medida que se cava, um sistema de canais subterrâneos trata de inundar qualquer tipo de escavação. 


  • Tumba de Qin Shi Huang 

Descoberto em 1974, é o berço dos Guerreiros de Terracota, na China. O mausoléu do homem que unificou o Império do Centro, Qin Shi Huang, permanece intacto por mais de 2.200 anos, dentro de uma pirâmide de três andares e 76 metros de altura, coberto com terra e preservado por um complexo sistema de drenagem. Quando morreu em 210 a.C, o imperador foi enterrado com muitas mulheres, seus guerreiros e também com tesouros. Porém, existe um grande de medo de entrar no mausoléu por causa de um rio de mercúrio que contorna o local e que pode ser extremamente nocivo aos aventureiros. Além disso, não há um “mapa” de como entrar na tumba do Imperador, e os estudiosos acreditam que existam armadilhas. O certo é que os responsáveis pelas escavações não fazem muita questão de entrar ali para conferir.


  • Tesouro da Mina Perdida do Holandês

Diz a lenda que há um tesouro escondido dentro desta mina, que fica perto da cidade de Apache Junction, leste de Phoenix, no Arizona. Aqui, a história se repete: os que tentaram buscar as riquezas supostamente enterradas não voltaram para contar o que aconteceu. A mina, no entanto, deverá manter o seu segredo já que a área virou local de preservação ambiental e a mineração é proibida. 





. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails