11 de fev de 2016

7 esculturas sonoras que permitem que a natureza seja música

  • Árvore Cantante, Burnley

Esta escultura de arte sonora está instalada em Burnley, Lancashire, Inglaterra. Tem 3 metros de altura e é composta por tubos de aço galvanizado de comprimentos diferentes e com buracos perfurados na parte inferior. 

Quando o vento sopra, a escultura produz um som assustador em várias oitavas. 

Concluída em 2006, a Árvore Cantora faz parte da série de quatro esculturas dentro do projeto de artes e regeneração Panopticons, criado pela Rede de Artes Ambientais de Lancashire.






  • Pavilhão de vento Aeolus, em Londres

O Aeolus está localizado no Canary Wharf, em Londres e é composto de 310 tubos de aço inoxidável, que terminam em um arco de dupla curvatura que os visitantes podem entrar para uma experiência auditiva única. 

Muitos dos tubos estão ligados a cordas ligadas a uma membrana em sua extremidade externa que transmite o som gerado pelo vento no arco e postos de escuta situados nas proximidades. 

O vento faz com que as cordas vibrem, cujos sons são projetados para baixo através dos tubos para o ouvinte debaixo do arco. Mesmo em dias sem vento, os tubos produzem um zumbido em baixas frequências. A escultura foi feita pelo artista britânico Luke Jerram.




  • Jardim do Som, Seattle

O Jardim do Som encontra-se no campus da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), ao lado do Parque Warren G. Magnuson em Seattle, Washington, nos EUA. 

Projetado e construído pelo escultor Douglas Hollis durante o início de 1980, o Jardim do Som possui 12 torres de aço que se parecem com torres de telefonia celular, dentro das quais pendem tubos de comprimentos variados que produzem tons baixos, quando o vento sopra ao redor e através deles. 

No topo das torres, palhetas de aço horizontais se movimentam ao sabor do vento e giram os tubos. No entanto, devido ao seu mau estado de conservação a gente só ouve tons quando há uma forte brisa soprando.




  • Órgão de Ondas, San Francisco

O Órgão de Ondas está localizado em um molhe que forma o pequeno Boat Harbor, no bairro Marina da baía de San Francisco. 

Projetado pelo artista Peter Richards, em colaboração com o escultor e pedreiro George Gonzales, o Órgão de Ondas é composto por 25 tubos de PVC e concreto localizados em várias elevações dentro do local com a sua extremidade inferior que se estende para o mar abaixo. 

Uma combinação de marés e ondas que sobem e descem empurra o ar para dentro e para fora dos tubos criando ruídos borbulhantes. O som ouvido no local é muito sutil, exigindo que os visitantes se sensibilizem com a sua música para que consigam ouvi-la. O truque é chegar na maré alta, sentar e ficar quietinho.




  • Órgão da Maré Alta, Blackpool

Esta instalação de 15 metros de altura foi construída em 2002 como parte do "Great Promenade Show", uma série de esculturas situadas ao longo da calçada beira-mar de Blackpool, no Reino Unido. 


Há 8 tubos anexos à escultura que por sua vez estão ligados a outros 18 tubos por baixo da avenida. Na maré alta, a água sopra o ar até os tubos do órgão que passam a emitir um som. 


O melhor momento para ouvir o Órgão da Maré Alta é de duas a três horas antes ou depois da maré. Em dias muito calmos o órgão permanece silencioso. A escultura foi projetada pelos artistas Lian Curtin e John Gooding.








  • Paredão do Funil, Dresden

O Paredão do Funil está localizado no bairro Kunsthofpassage, em Dresden, Alemanha. 

Na parede do lado de fora de um grande edifício azul de vários andares foram instalados uma série de tubos de metal e funis de vários tamanhos que tocam (ou deviam tocar) música quando a água da chuva fluísse do telhado para as calhas abaixo. 

Infelizmente, eu não consegui encontrar uma só gravação que reproduza a tal música do Funil.






  • Windorgel, Vlissingen

O Windorgel é outra escultura sonora localizada na cidade de Vlissingen, na Holanda. 

É constituída por vários tubos de bambu com furos verticalmente colocados ao longo do seu comprimento. 

Ela produz uma variedade de sons quando o vento sopra. O carrilhão de vento original foi construído em 1975, mas durou apenas um ano, arrastado por uma tempestade. 

O segundo foi construído um pouco depois do primeiro ser destruído. Infelizmente, o segundo órgão de vento foi destruído por vândalos em 1981, resultando no terceiro e atual órgão construído em 1983.





. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails