17 de jan de 2012

Mulheres com duas vaginas

  • Uma rara condição entre as mulheres, que afeta menos de uma entre um milhão, conhecida como útero didelfo.

Hazel Jones
Existe uma rara condição entre as mulheres, que afeta menos de uma entre um milhão, conhecida como útero didelfo. Esta anomalia, em suas versões mais extremas, pode fazer com que uma mulher possua dois ventres, dois cérvices, e duas vaginas. Tal é o caso de Hazel Jones, uma bela jovem britânica de 27 anos que revelou recentemente que sofre desta condição.

Mas ao contrário das pouquíssimas mulheres que padecem de útero didelfo, Hazel não tem nenhum complexo e maneja o assunto com total abertura e natureza, inclusive participou de um programa matutino da televisão inglesa para falar de sua situação.


- "Desde que fiquei sabendo, conto para todo mundo. De fato, se uma mulher quer dar uma olhada para ver como é, mostro em problema nenhum. Não é algo que me envergonhe".
O útero didelfo responde a uma condição genética na qual o tubo do útero não se fragmenta e então fica dividido em duas seções. No entanto, no caso de Jones, isto conduziu, estranhamente, a que esta divisão se refletisse também na formação de duas vaginas, que já levou a moça a viver situações tão pouco usuais quanto bizarras como perder sua virgindade em duas ocasiões. Mas quando perguntam sobre sua vida sexual, a jovem não demora em responder com um sorriso próprio de quem viu o periquito verde... duas vezes, que "é simplesmente ma-ra-vi-lho-sa".


Lauren Williams
Poderia soar como diversão em dobro, mas para Lauren Williams, 28 anos, de Chingford, Essex, foi um pesadelo. Seu período durava até 21 dias e quando conheceu o sexo a única coisa que sentia era dor. Cansada dos problemas e dores, foi ao médico porque intuía que algo não estava bem. Finalmente, descobriu aos 25 anos que tem 2 cérvices, dois úteros e duas vaginas.

Nenhum médico que a examinou antes e nem seus namorados e nem ela tinham dado conta do problema:

- "Eu nunca tinha realmente examinado lá embaixo antes".

Após o diagnóstico e de uma operação que removeu a barreira entre os dois órgãos deixando como se fosse somente uma vagina, Lauren desfruta mais a vida e até ri do que aconteceu.

- "A vagina que eu estava usando tinha a metade do tamanho de uma normal, por isso doía tanto", ri Lauren.

Agora ela leva uma vida normal e conta que o sexo após a operação foi como uma revelação indescritível... algo prazeroso que nunca havia sentido.

Ter dois órgãos reprodutivos não acarretará nenhum mal e quando decidir ter filhos, o útero não será um problema porque o bebê empurrará o outro órgão para o lado. Mas terá que se precaver utilizando preservativos enquanto estiver grávida para não fecundar o óvulo do outro útero.

Lauren separou-se do último namorado em março do ano passado e desde então ele foi o único.

- "Me sinto totalmente normal e não tenho problema nenhum de contar as pessoas o que eu tenho. De forma que não tenho nenhum medo de entrar em uma nova relação. Eu aceito como sou e qualquer namorado também terá que aceitar, por isso é bom fazer melhores escolhas". Finaliza Lauren.







. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails