5 de jun de 2013

6 histórias inacreditáveis sobre consciência durante anestesia

Já pensou ser anestesiado para uma cirurgia, mas não dormir? Você ainda sente tudo, está acordado, só que não consegue se mexer e avisar que ainda está consciente. Quão agonizante deve ser?

Isso é chamado de “despertar inadvertido durante a anestesia” (DIDA). DIDA ocorre quando um paciente sob anestesia geral fica consciente de algum ou de todos os eventos durante a cirurgia ou procedimento cirúrgico, e tem recordação direta desses eventos.

Apesar de raro, isso já aconteceu com algumas pessoas. DIDA ocorre com 1 ou 2 pacientes a cada mil submetidos a anestesia geral. Confira as histórias incríveis de alguns sobreviventes desse martírio:

1 – Carol Weiher, acordada durante cirurgia de olho

Carol Weiher teve seu olho direito removido cirurgicamente em 1998. Ela simplesmente acordou ouvindo música de discoteca. A próxima coisa que ouviu foi “Corte profundo, puxe com mais força”.

Ela queria desesperadamente gritar ou até mover um dedo para sinalizar os médicos de que estava acordada, mas o relaxante muscular que havia tomado a impedia de controlar seus movimentos. “Eu estava fazendo uma combinação de oração e súplica, xingando e gritando por dentro”, disse.

Os instrumentos cirúrgicos não causaram dor a Weiher, apenas pressão, mas as injeções de uma droga paralítica durante a operação “pareceram combustível inflamado”, segundo Carol. “Eu pensei que estava no inferno”, disse ela.

Toda a cirurgia durou cinco horas e meia. Nesse tempo, ela desmaiou ou ficou inconsciente algumas vezes. Quando acordou de vez, ela começou a gritar. “Tudo que eu podia dizer era ‘eu estava acordada! Eu estava acordada!’”, conta.


2 – June Carson, sofreu parada cardíaca de dor

Quando o cirurgião fez sua primeira incisão em June – o bisturi cortou sua barriga -, ela soltou um grito silencioso de agonia. O anestesista tinha calculado mal a dose e, enquanto ela não podia se mover ou fazer qualquer som, ainda podia sentir cada segundo torturante de sua operação.

“Sentindo a faca cortando minha barriga, eu pensei que eu ia morrer imediatamente. É impossível descrever a dor, mas senti como se estivesse sendo torturada”, conta.

Depois de 15 minutos suportando a agonia da cirurgia, seu coração parou com o choque. Felizmente, com uma injeção de adrenalina, o coração de June começou a bater novamente. Ela acordou duas horas depois, na UTI, lembrando cada segundo de seu pesadelo cirúrgico.

3 – A paciente que ficou consciente em duas cirurgias

Esta paciente azarada teve DIDA duas vezes. Uma vez quanto tinha 3 anos, mas ela não se lembrava de sentir nada durante a operação, só de ouvir os médicos falando. Sua frequência cardíaca disparou, e foi quando os médicos perceberam o que estava acontecendo e deram-lhe uma dose maior de anestesia.

Da outra vez, ela tinha 16 anos de idade. Ela foi fazer uma cirurgia para corrigir alguns problemas respiratórios, e, novamente, podia ouvir e sentir tudo. Os médicos não tinham ideia do que ela estava passando. “Eu senti o cirurgião cortar-me. A dor era tão insuportável que eu perdendo e voltando à consciência. Foi horrível”, disse.

Depois que acordou, ela não se lembrou de nada até algumas horas mais tarde. Então perguntou aos médicos sobre sua experiência, e, após alguns testes, eles verificaram que ela teve despertar inadvertido.

4 – A paciente acordada durante cirurgia da vesícula biliar

Em 2008, uma mulher ficou consciente durante sua cirurgia da vesícula biliar. No começo, ela dormiu, e só acordou mais tarde sentindo um tubo de respiração em sua garganta, e ouvindo os médicos conversarem.

Ela sentiu a primeira incisão do procedimento laparoscópico perto de seu umbigo. Não conseguiu se mexer. Sentiu então a segunda incisão pela caixa torácica, junto com uma dor que não pode nem descrever. Ela lutou muito para tentar avisar o que estava acontecendo. Foi quando o anestesista sentiu que a pressão arterial da paciente estava fora de controle. Eles aumentaram a dose da anestesia ao máximo possível. No final da cirurgia, os médicos não conseguiram movê-la para a sala de recuperação por quatro horas, por causa do seu elevado ritmo cardíaco.

5 – Diane Parr, acordada durante uma extração de dente

Diane passou por uma cirurgia de extração de dente devido a um abscesso, um procedimento que ela tinha sido assegurada de que era rotina. 

Minutos antes, o anestesista tinha administrado uma dose de anestesia que a tinha deixado tonta. Porém, ela não dormiu. Começou a ouvir vozes e sentir o cirurgião mexendo em sua boca.

“Era como se meu dente estivesse saindo do meu pé, não da minha boca. Uma dor lancinante atravessou meu corpo”, conta. 

“Pensei que ia morrer, não por causa da dor, mas pelo medo. Pensei que ia ter um ataque do coração”.

6 – O paciente acordado durante cirurgia na perna

Um paciente no Reino Unido fez uma operação que envolvia cortar sua perna e perfurar seu osso. Ele foi anestesiado, mas continuou consciente na sala de cirurgia com um tubo na garganta, e incapaz de se mover.

Ele tentou alertar os médicos da situação, agitando os dedos dos pés. Uma enfermeira notou seus movimentos, mas os médicos disseram que eram “apenas reflexos”, e ela deveria ignorá-los.

Ele então sentiu a aplicação de um torniquete em sua virilha, momento em que percebeu que a operação havia apenas começado, que ele ainda estava extremamente sensível à dor, e que não podia fazer nada sobre isso.

O paciente teve que ficar em agonia impotente, enquanto sua perna era cortada e quatro furos perfuravam seu osso. Até parou de respirar em mais uma tentativa de alertar os médicos, mas o ventilador em seu nariz respirava por ele. Mais tarde, processou o hospital, e ganhou a causa.




. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails