29 de abr de 2015

Jovem seguiu seu iPhone roubado até o outro lado do mundo e encontrou um amigo para toda a vida

  • Uma história surreal que só pode acontecer pela nossa conectividade atual

Esta estranha história só foi possível graças a internet. Matt Stopera relata no BuzzFeed o que se passou quando roubaram seu celular. Tudo começou em fevereiro de 2014 quando ele estava no EVS, um bar do East Village em Nova Iorque, e de repente notou que seu celular tinha sumido. 

De imediato ele emprestou o celular de um amigo e fez uma ligação para o seu, mas claramente só o correio de voz respondia. Depois de insistir mais um ou dois dias, comprou outro aparelho, e a partir dali deu o celular antigo como perdido e decidiu não se preocupar mais com o assunto.

Após um ano ele estava com alguns amigos vendo seu álbum de fotos quando de repente apareceu um monte de imagens de laranjeiras e um homem em frente delas.

- "Já estava acostumado a ver fotos desta misteriosa pessoa em meus álbuns de fotografias e não tinha feito nada até que contei a um amigo e ele me disse que muitos celulares roubados são levados para a China, onde são revendidos e que essa pessoa seguia conectada ao meu iCloud", explica Matt.




Ele foi então a uma loja da Apple onde corroboraram essa informação, motivo pelo qual cancelou a conta e bloqueou o aparelho.

- "História fechada, meu irmão das laranjas não poderia usar mais o meu celular", disse Matt.

Mas algo inesperado aconteceu. Ele acabou ficando famoso após publicar um post no BuzzFeed: "Quem é esse homem e por que suas fotos aparecem em meu celular?" A história acabou publicada na Weibo (rede social asiática essencialmente igual ao Twitter). De repente, ele começou a receber milhares de tuites da China que prometiam encontrar o Irmão Laranja.

- "Ao ver todo o alvoroço que isto causou, decidi seguir mais de perto o caso e fiz uma conta na Weibo. Em uma semana eu já tinha mais de 100 mil seguidores", conta Matt.

Graças a esta grande conectividade, encontraram o homem das fotos e começaram a conversar. O Brother Laranja convidou Matt para visitar a China que prontamente aceitou.

Para chegar a Meizhou, a cidade onde mora o Irmão das Laranjas, ele teve que fazer 4 escalas. Em uma das paradas, começou a perceber a estranha expectativa que sua chegada estava gerando.

- "Em uma das baldeações, meu Irmão enviou-me uma foto de como estavam esperando. Cara, comecei a ficar nervoso. Um cartaz para me receber? Puta povo exagerado! Pensei eu", conta Matt.

Quando pensava no assunto, uma garota do avião se aproximou e me disse - "Oh, você é o Matt!" e entregou uma carta ao rapaz dizendo que era uma de suas fãs e que se sentia muito feliz por tê-lo conhecido, que queria ser sua amiga, que estava disposta a esclarecer qualquer dúvida que tivesse sobre a China, que podia....

- "Uau, caraca véio! A menina não parava de falar, parecia uma vitrola estragada. Senti-me genuinamente emocionado porque alguém reconheceu minha existência em um país tão forasteiro". 

Mais tinha muito mais por vir... quando ele chegou no aeroporto, havia um batalhão de fotógrafos e jornalistas que queriam capturar o encontro. O Brother Laranja o recebeu com um buquê de flores.


- "Cara, me senti como uma Kim Kardashian, só que sem aquela bunda toda, sabe?", brinca Matt.



A estadia de 9 dias foi surreal. Ele sentiu-se a celebridade mais famosa do mundo. Um hotel diferente a cada noite, conferências de imprensa, cartazes com seu nome, fãs, entre outras coisas que não deixavam de surpreendê-lo.

- No princípio foi meio acachapante, pensei que não teria a privacidade para poder conhecer mais meu novo amigo. Mas não foi assim, e acabei gerando uma relação muito próxima com meu irmão das laranjas. Ensinou-me parte de sua cultura e disse que sentia que tudo isto era parte do destino. Pouco a pouco, eu também comecei a crer nisso".




Eles visitaram as famosas laranjeiras das selfies que percorreram o mundo e visitaram um monte de lugares. Apesar de nunca permaneceram realmente a sós por um instante, puderam gerar um verdadeiro vínculo.

Esta história só foi possível graças a internet, a conectividade, a tecnologia e a globalização. Algo que nenhum dos dois esquecerá e que em um futuro terá uma segunda parte.

- "Meu Brother Laranja vai me visitar em Nova York. Não vejo a hora de recebê-lo!”, conclui Matt.

Ah... sim, a história do celular: bem, o telefone acabou em Hong Kong, onde a maioria dos celulares roubados de alta gama vai parar. De Hong Kong foi para Shenzhen, o maior mercado de telefonia celular de segunda mão no mundo, com mais de 2.000 lojas. O primo do Broter Laranja comprou o celular e deu a ele como um presente. O telefone ainda tinha todas as fotos de Matt nele. O cara que roubou o telefone não teve nem mesmo o trabalho de excluí-las. Havia também fotos do próprio ladrão.




Estranhamente, as fotos que Matt fazia em seu novo telefone também apareciam no telefone do Brother Laranja. Ele não parava de excluí-las. O que pode demonstrar um grande buraco de segurança no iCloud.


Fonte





. . .

2 comentários:

Unknown disse...

Tá..... legalzinho porem o básico disso tudo é que o laranjeiro comprou um celular roubado, e sabia que era roubado e continuou a usa-lo sem se importar com o fato.

Anônimo disse...

Kkkkk..

Bunitinho emocionante...
O celular e roubado, deveria estar sem senha...
Nao apagou, para reverter as configurações de fabrica...
O Matt nao mudou a senha da icloud...

Tudo lindo...

Mas era roubado...
Tudo isso gracas a internet...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails