26 de out de 2010

Entrevista com o Camisa de Vênus



  • O CAMISA DE VÊNUS CONTA PARA MIB COMO ESTÁ SENDO SUA VOLTA AOS PALCOS
Eduardo Scott, 50 anos de idade, virginiano, casado, formado em comunicação com jornalismo e surfista. Um homem que dedicou toda sua vida a música, seja cantando em bandas de rock ou trabalhando nos seus bastidores como assessor de grandes artistas ou em gravadoras. Na década de oitenta foi o vocalista da Banda Gonorréia que sacudiu as estruturas familiares da Bahia e agora é o atual comandante da lendária Banda Camisa de Vênus.

Eduardo Scott e Lucas Bertolucci
A Banda foi criada em Salvador quando Marcelo Nova (vocal), Robério Santana (Baixo), Karl Franz Hummel (guitarra base), Gustavo Mullen (Guitarra solo) e Aldo Machado (Bateria) se reuniram em 1980. A primeira apresentação foi em maio de 1982, em Salvador, e o lançamento do primeiro compacto, "Meu Primo Zé" e "Controle total", aconteceu no mesmo ano. O primeiro álbum, Camisa de Vênus, foi lançado em 1983 pela Som Livre.

Em 1983 o Camisa de Venus se muda para São Paulo e assinam contrato com a Som Livre. O nome da banda era considerado "indecente" por muitos, sendo assim a divulgação em rádio e televisão seria inviavel. Diretores da Som Livre chamaram os membros da banda para uma reunião e sugeriram a mudança do nome da banda, Marcelo nova disse que mudaria o nome sim, e sugeriu que o novo nome da banda fosse "capa de pica". O Camisa de Vênus foi expulso da gravadora após essa reunião. A gravadora também retirou o disco de catálogo e, por mais de um ano, a banda ficou sem gravadora. Em 1985, assinaram com a RGE, que relançou o primeiro disco da banda. Ainda em 1985, foi lançado "Batalhões de estranhos", nesse disco o Camisa divulga o single "Eu não matei Joanna d'Arc".

A banda lotava ginásios em todo o país, e em Santos, litoral de São Paulo, gravaram o disco ao vivo, "Viva", no Clube Caiçara, de 1986, o disco foi basicamente o registro de um show do Camisa, foi um marco na história do rock nacional, o primeiro Ao Vivo realmente ao vivo, com microfonia, ecos e muitos palavrões. O disco fez muito sucesso, mas logo foi retirado das lojas pela censura. Ainda em 1986 assinaram um novo contrato com a WEA e lançaram o álbum "Correndo O Risco", do qual Só o fim se tornou um hit. Neste mesmo disco o Camisa, uma banda de origem punk, convida uma orquestra para participar da canção " A ferro e fogo", algo completamente inusitado.

Em outubro de 1987 foi lançado o álbum duplo "Duplo Sentido". Esse álbum conta com a participação especial de Raul Seixas, na música "Muita estrela pouca constelação" que retrata o cenário musical da época. Em novembro, Marcelo Nova deixou a banda, para investir em sua carreira solo.

Após o fim da banda em 1998, o Camisa voltou a se reunir em algumas ocasiões. Em 2004, com a participação da banda no Festival de Verão de Salvador, onde a banda gravou o seu primeiro DVD, em 2007 com alguns shows pelo Brasil, e agora a banda está de volta.

A MIB tem muito orgulho de ter no seu cast de entrevistados o Scoot, o novo vocalista da maior banda de rock de todos os tempos do Brasil. Sou fã do Camisa de Vênus e amigo de Jerri, Karll e Gustavo. Aqui você saberá como foi a trajetória do Scott e como está senso a retomada do novo Camisa de Vênus.


ENTREVISTA COM SCOTT DO CAMISA DE VÊNUS


1 - Lucas Bertolucci – Na década de 80 quando o Camisa de Vênus surgiu você era o vocalista da Banda baiana Gonorréia, como era, na sua visão, o cenário musical dessa época na Bahia e no Brasil? E como surgiu a Banda Gonorréia nesse contexto?
Scott –  Naquela época, ter uma banda de rock em Salvador, já era por si só um mérito, pois não havia nenhuma cena na cidade. Quando o Camisa surgiu e nos mostrou que o “Faça você mesmo” era possível, tudo mudou na cidade. Tanto que surgiram após o Camisa cerca de 33 bandas ao mesmo tempo. E com esse impulso do Camisa, montei junto a mais três amigos o Gonorréia que era a segunda banda mais famosa e odiada da cidade....risos.


2 - Lucas Bertolucci – Nessa época surgiram na Bahia várias bandas com nomes sugestivos, tais como: Gonorréia, Camisa de Vênus, Escarro, Delirium Tremens, Espírito de Porco, Arroto de Rato... bandas Punks que mexeram com o cenário musical de Salvador. Como era a relação entre essas bandas?
Scott – Era de competição acirrada mesmo. Todos queriam ser a banda do momento, pois o Camisa já estava despontando no cenário nacional e todas as que estavam surgindo, queriam ocupar o lugar que ficara vago na cidade e com isso os festivais promovidos por Nicolau Rios ( que era guitarrista do Trem Fantasma) e pela Band Fm acirraram mais ainda esta competição. Chegou até acontecer um festival promovido pela Band Fm, que o prêmio era a gravação de um disco, que o Gonorréia ganhou, mas não levou, porque na verdade foi uma armação para ganharem dinheiro e não existia nenhuma proposta concreta da gravadora ( EMI ) e sim uma possível contratação caso o grupo ganhador se encaixasse no cast da empresa...enfim sobramos....


3 - Lucas Bertolucci – O Gonorréia teve uma vida curta, apenas 13 meses de vida. O que vocês tentaram falar em suas músicas em tão pouco tempo?
Scott – Sarcasmo, ironia, verdades ocultas na cultura baiana e esculhanbação total com a musica da bahia na época. O ideal era chocar a família baiana e os bons costumes...risos..... tanto que por causa do nome, fomos parar varias vezes na policia federal para dar declarações sobre as pichações pela cidade e por usar aquele nome “nojento” risos.....


4 - Lucas Bertolucci – Vocês gravaram um CD depois de 23 anos com músicas antigas e algumas novas. O que o público jovem de hoje pode esperar dessa musicalidade de vocês?
Scott – Olha Lucas, o projeto Gonorréia 8205 O Resgate da História, foi mais uma vontade que eu tinha entalada na garganta que não saiu na década de 80. Pois éramos populares, enchíamos os shows, tínhamos respeito do público, mas ficou faltando o registro histórico auditivo, que era um CD. Porque mesmo sem termos conseguido fazer na época um disco, o grupo foi citado em livros, matérias jornalísticas, etc. Aí então quando tive a oportunidade de tornar o sonho, mesmo que tardio uma realidade, não pensei duas vezes, mas para que o som não soasse antigo, fiz questão de ter musicas com temas atuais e que o produtor nos desse a sonoridade digital aquelas loucuras da época. E também que saísse por uma grande gravadora (Universal Music)  para que chegasse as mãos de todos os jovens do Brasil, de norte a sul que conhecessem a historia do rock brasileiro e os pais destes jovens que presenciaram aquela cena na Bahia. Por isso fiz questão também de lançar um livro junto com o CD com declarações de músicos do rock nacional como o próprio Marcelo Nova, João Gordo ( Ratos de Porão), Roberto Frejat ( Barão Vermelho) e Toni Belotto (Titãs)


5 - Lucas Bertolucci – Hoje você está à frente da Banda Camisa de Vênus, como você vê atualmente o cenário musical brasileiro para um volta da banda que fez história na nossa música?
Scott – Quando surgiu o convite, desta turnê comemorativa de 30 anos, foi pra mim uma grata surpresa e um desafio. Pois nestes quase 21 anos que a banda ficou parada, havia uma lacuna no rock brasileiro. Primeiro que muitos achavam que ninguém teria coragem de substituir o (Marcelo) Nova no Camisa e se ainda iam funcionar as musicas compostas há tanto tempo atrás. Mas como com o passar dos anos, o Brasil não mudou muita coisa, vimos que alguns temas são tão atuais quanto na década de 80. Letras como O Adventista, País do Futuro, My Way só para citar algumas, são temas tão atuais que qualquer jovem de 16 ou 25 anos vai entender que precisam ouvir musicas que mudem pelo menos a forma de pensar, para se trabalhar para termos um país melhor.

6 - Lucas Bertolucci – Você esteve um longo tempo afastado da linha de frente de uma banda. Trabalhou nove anos como assessor de imprensa de Ivete Sangalo, como foi essa experiência?
Scott – Se existe aquela historia do “The Great Rock and Roll Swindle “ posso dizer que tenho minha contribuição, pois nestes anos todos que trabalhei como assessor, sempre dizia a minha assessorada que um dia ia gravar um CD de rock com o dinheiro dela...risos e foi o que acabou acontecendo...risos...


7 - Lucas Bertolucci – Abril do ano passado Jesus Sangalo o demitiu do cargo de assessor de imprensa de Ivete, você deu a seguinte declaração ao site Ego da Globo:
"Fui pego de surpresa hoje, com esta notícia. Segundo o presidente da empresa, Jesus, a 'Caco' entrará numa recessão e para conter as despesas, meu nome era o primeiro da lista. Não falei com a Ivete porque ela está em São Paulo. Mas se foi o irmão dela quem me demitiu, acredito que deva ter sido com o consentimento dela". O que realmente aconteceu?
Scott – O que me foi dito por ele foi exatamente isso ! Se não foi verdade, não sei dizer, porque este foi o argumento dele ! “A empresa esta em crise e tenho de demitir os funcionários com salários mais altos “ então que mais podia dizer ? E se ele fez isso, com certeza teve o consentimento dela, afinal ela teria o direito de interceder contra se não fosse vontade dela também, ou como ele além de empresário é irmão, não quis que virasse briga de família...risos... mas enfim, é a vida, e com isso tive a oportunidade de entrar para o Camisa de Vênus, que se ainda estivesse trabalhando para ela, não teria agenda para ocupar as duas funções.

8 - Lucas Bertolucci – Como surgiu o convite para ser o novo vocalista da Banda Camisa de Vênus?
Scott - Foi através de uma festa promovida com a Banda Coveiros do Cover, em uma festa no Groove Bar, eu fiz uma participação cantando duas musicas do Gonorréia, ali estavam também três músicos do Camisa ( Karl, Gustavo e Robério ) e logo depois de minha participação no bar mesmo, veio o convite deles.

9 - Lucas Bertolucci – É inevitável a comparação de você com Marcelo Nova. Como está a repercussão de sua chegada na Banda e como você está encarando essa situação?
Scott – Lucas, posso te garantir que superou as expectativas. Já fizemos shows em Salvador, Rio de Janeiro, Feira de Santana, Ilhéus, Curitiba, BH entre outras e a receptividade do público foi calorosa em todos os shows. O Camisa é uma marca cheia de sucessos de radio que por mais que a pessoa não goste do ritmo, lembra de alguma musica, e nos shows quando terminamos o set list, o público pede bis e depois vão ao camarim tirar fotos. Isso é a maior prova que aprovaram o projeto, pois se tem uma coisa que não se consegue em shows é enganar o povo. Se gostaram batem palmas e participam, se não vão embora antes mesmo que o show acabe, e isso posso te garantir não esta existindo, tanto que agora em dezembro estamos descendo para fazer 8 shows em SP capital e interior a convite de contratantes, sinal que a repercussão dos shows já chegou ao pólo cultural do Brasil.


10 - Lucas Bertolucci – A formação original da Banda era: Marcelo Nova, Karl Hummel, Gustavo Mullen, Robério Santana e Aldo Machado. Como está a nova formação? E como a imprensa e o público estão vendo essa nova formação?
Scott – Hoje temos o Gustavo Mullem e Karl Hummel da formação original. Eu completo um ano na banda em cinco dias ( o que já me coloca na historia da banda ) ...risos... e no baixo esta o Jerry Marlon e na bateria o Louis. A critica tem recebido muito bem. Aqui na Bahia que seria o nosso principal termômetro, recebeu muito bem, até nos surpreendeu, pois na época com a ditadura, os jornais tinham uma certa restrição quando ao nome, mas hoje estampam na primeira pagina os shows do Camisa de Vênus 2010. Com a internet então, não poderia ser melhor, se você colocar no Google, você vai ter pelo menos umas trinta páginas falando desta volta com nova formação, ou seja, só temos é que comemorar, pois a marca além de viva ainda mexe com as pessoas.


11 - Lucas Bertolucci – Em toda sua história a Banda Camisa de Vênus lançou 10 álbuns, alguns de extremo sucesso. Estou sabendo que em 2011 haverá um novo disco, como será esse disco? Será um disco com músicas novas ou um disco mesclado com novos e antigos sucessos? 
Scott – Nós temos na verdade dois projetos para 2011. Um seria um disco acústico como o Metallica e o Nirvana fizeram, que mesmo sendo acústico, não perderam a energia. Este Cd teria participações de músicos amigos do Camisa nestes 30 anos em sucessos antigos e algumas musicas novas. O outro seria mais no final de 2011, um CD inteiro com musicas inéditas.


12 - Lucas Bertolucci – Uma turnê está chegando, logo, como está a agenda de vocês?
Scott – Agora em novembro temos alguns shows aqui pela Bahia, mas em dezembro focamos o sul do país com shows em SP e Santa Catarina.



13 - Lucas Bertolucci – A MIB agradece a participação do Camisa e esperamos um retorno de muito sucesso. Fui conferir o primeiro show aqui em Salvador e curti demais, relembrei meus bons tempos de adolescente. Para finalizar, deixe seu recado para os nossos leitores.
Scott – É muito bom saber que a arte e a cultura não tem “dono” que pode sobreviver através dos tempos e que pessoas como você abrem espaço para os canais chamados de “alternativos “ para que cada dia mais as pessoas possam expressar sua arte e dizer: vivo em um país democrático.



  • Curta algumas músicas do camisa:

Obs 1: Querendo ver mais é só digitar no youtube: camisa de vênus 2010
Obs 2: EU ESTAVA NESSES DOIS SHOWS DOS VÍDEOS ABAIXO xD

Camisa de Vênus - Beth Morreu



Camisa de Vênus - Lena



Camisa de Vênus - O Adventista



Camisa de Vênus - My Way

26 comentários:

Jorge Wilson disse...

Fantástica a entrevista, só assim a gente fica sabendo mais sobre o artista. Parabéns ao entrevistador e entrevistado. Assisti os vídeos e gostei da postura do novo vocalista. Amo essa banda, fico muito feliz em saber que ela está de volta. Vou ficar esperando o show em sampa, pode ter certeza que estarei lá com minha galera.

Anônimo disse...

bota pra fuder... bota pra fuder... bota pra fuder... bota pra fuder...
do caralho a entrevista, melhor banda que esse país fudido já teve, os caras são os caras. gustavo é o cara, para mim o melhor guitarrista brasileiro

Carlinhos RJ disse...

maneiro a entrevista... as músicas que mais gosto do camisa são adventista e my way. queria saber quando vcs vem tocar no rio

Sérgio Almeida disse...

Não peguei a época do Camisa, mas os caras são feras, curto o som deles, que bom que voltaram.

Soraia disse...

O blog ta chique, entrevista com famosos, amei, continue assim. Bjs

Alex MILIGA disse...

O camisa é a banda. Me lembro dos shows que fui na década de oitenta. Muita zueira. Era muito bom gritar palavrões e ouvir toda a galera junta gritar: BOTA PRA FUDER... era uma liberdade de fuder, já que era o que não tínhamos na época. Fico muito feliz que a banda volte. Estou ainda cético sobre a nova formação, sou tradicional. Mas também estou disposto a conferir. Gostei da postura do novo lider e vi os vídeos, gostei. Mas preciso ver isso ao vivo, senti na pele, ter aquele sentimento de liberdade que a gente tinha nos shows de anos atrás. To ansioso esperando e pode ter certeza que estarei no show. Vamos nessa moçada: BOTA PRA FUDER......

Serginho disse...

não foi de minha época, mas quem nunca ouviu falar em SILVIA. quero entender o que foi vcs no passado e quero conferir esse show, espero que vcs venham em minha cidade

Norma Carvalho disse...

camisa é the best, fico feliz com o retorno. gostei do novo vocalista, tanto dele cantando como da entrevista e ele é um gatinho.. hehe

Pedro Malocca disse...

taí uma banda para a nova geração saber o que é rock ao invés de ficar ouvindo os teletubis do restart

Anônimo disse...

para vcs voltarem tem que fazer um puta de um cd, senão nem vale a pena

Angela Cristina disse...

Eu tenho acompanhado essa história desde do comecinho e tenho visto a evolução e amadurecimento desta nova fase da banda. Eu tenho certeza que vais ser um grande retorno e ainda vamos ouvir falar muito desta nova CAMISA DE VÊNUS!!!!Long Live Rock Bahia!!!!!

Jerry Marlon disse...

Muito interessante a entrevista, e acima de tudo lucidez nas declarações de Scott.

Aninha disse...

Camisa forever... adoro a banda e fico feliz com o retorno. Sucesso para vocês.

Bertolucci disse...

Assim como minha amiga Angela (amiga de zilhões de anos)tenho acompanhado esse retorno da galera bem de perto e to adorando o que eles estão fazendo. Sempre fui fã do Camisa, muito fã de Karl e Gustavo. Tive a honra de cantar numa banda que Gustavo tocava: Missionário do Dízimo. Gosto muito desses caras. O Jerry Marlon que entrou agora na banda é meu amigo há anos e ele é a cara do Camisa...
O Scott é um cara de personalidade, tenho certeza que esse retorno vai ser um sucesso, ou melhor dizendo, está sendo um sucesso por onde já passou.

Vida longa ao Camisa de Vênus

EDITOR DA MIB

Anônimo disse...

muito boa a entrevista e muito bom o blog. camisa é maneiro que boa que voltaram

Pedrinho Caroço - Sampa disse...

O Camisa foi a banda de rock desse país. Estou ansioso para saber o que eles vão trazer de novidade. Espero que a mídia dê espaço, pois uma banda com tanta história tem que conseguir chegar a todos.

Wilson Bittencourt disse...

Não foi de minha época, meu pai que curte demais. Mostrei a entrevista para ele e ele ficou doido. Diz que é fã número um e que vai para os shows que tiver aqui em São Paulo. Ele fez tanta palhaçada por causa dessa entrevista que decidi ouvir o som e : GOSTEI. Tem uma energia única, também vou querer ver vcs de perto. Abraços e boa sorte na retomada.

Luciano Almeida, Sta Catarina disse...

Fico muito feliz com a volta do camisa. As bandas que sempre curti do rock nacional são Camisa, Titãs e Capital. Faltava só o camisa novamente no cenário do rock brasileiro. Bom retorno e "bota pra fuder"...

César disse...

Estou descrente nesse retorno, a banda só com Karl e Gustavo parece um cover de si mesma. Perdeu a característica principal. Preciso ao vivo para saber como é essa nova Camisa.

Anônimo disse...

tambem acho que só vale a pena se eles gravarem coisas inéditas. e tem de ser um puta trabalho. se ficar nessa de tocar musicas do baú não vai pra lugar nenhum.

Anônimo disse...

bota pra fuder

David Coverdelle Mesmo disse...

Scott, como sempre, coerente, profissional e verdadeiro em suas declarações. O Camisa foi referência para a minha geração e certamente impactará essa agora. Longa vida ao Camisa de Vênus!! Longa vida ao verdadeiro rock 'n roll!!

SEULLUNGA disse...

Vida Longa ao Camisa de Vênus!!!!
Num momento em que babacas cultuam o arghhh! Los Hermanos(Los Panacas) o ressurgimento do Camisa de Vênus foi um presente dos Deuses do Rock!
Tenho o privilégio hoje de ser amigo do Aldo Machado(O Boi Tatá!), assisti o show do Camisa nos anos '80 e achava o Aldo o "John Bonham" brasileiro, pela batida animal da bateria...e continuo achando!
Vejam só! Anos depois morando em Fortaleza-Ceará descubro que o Aldo (Agora um Professor sério e compenetrado) era diretor do colégio dos meus filhos e aonde a minha esposa lecionava!!!!!
Aldo estava afastado completamente da música, teve problemas com a fama e o sucesso, mas recuperou-se e continua ligado no rock!
Tive que contar aos meus filhos quem era o Aldo, e eles contaram ao mundo...Muitos sabiam, mas a ficha ainda não tinha caido...até escutarem o som do Camisa...E então coisas começaram a acontecer! Caras... era como conviver com um dos Beatles!(Eu sou babão do camisa mesmo!) Bom... as conseqüências foram que o Aldo acabou montando um núcleo de ensino musical no colégio com cursos básicos de violão e Bateria. E o um dos meus filhos, a quem ensinei uns parcos acordes de violão - Foi seu aluno de Bateria, durante algum tempo foi "roadie" dele na Banda em que ele voltou a tocar (Banda PURO MALTE de Blues e Rock!), inclusive colocou o garoto para tocar com as feras da banda dele numa apresentação! Bom meus filhos hoje tem uma educação musical ótima e de extremo bom gosto, e devo ao Aldo o arremate final disso, pois com certeza ele repassou aos garotos ótimos conceitos do que é ser músico(Meus dois garotos são ótimos músicos,multi-instrumentistas são universitários agora e tocam numa banda!)
Aldo Machado, além de educador formal, continua dando cursos de bateria e tocando algumas noites por semana o mais puro rock'n roll em Fortaleza.
Abraços parabéns pela matéria, os velhos roqueiros te agradecem

Anônimo disse...

Eu já vi grandes bandas, sobretudo de rock internacional voltarem com outras formações e os fãs delirarem com o novo trabalho...Só aqui no Brasil que tem esse "carrancismo " careta de que tudo tem que ser como era Dantes no castelo de Abrandes....Que merda isso!!!!É isso aí galera, fé na vida e pé na estrada.

edem cesar disse...

Caras falar do CAMISA DE VÊNUS é difícil, só quem curtiu os shows do início da banda na década de 80, no Teatro Vila Velha, no Circo (este com a Banda de Scott, GONORREIA, que quase foi interrompido pela Ditadura), na Barra, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (por causa deste show quase perco meu emprego, larguei minhas obrigações para entrar no fosso e curtir). Quando o CAMISA lançou seu compacto com as musicas CONTROLE TOTAL E MEU PRIMO ZÉ, acredito eu, fui o primeiro a comprar. Fora outras loucuras que fiz para assistir aos shows do cenário Rock em Salvador. Porque estou contando isto? Para poder entrar no assunto Eduardo Scott. Porra!Fazer comparações com Marcelo é a mais pura basbaquice! Sabem porque? Porque Scott é um cara batalhador pra caralho, profissional, inteligente, coerente, verdadeiro em suas declarações (veja pela entrevista), seu vocal expressa o rock literalmente, sua performance no palco é ótima e tem carisma. Já fui a dois shows no Groove Bar com ele a frente do Camisa. No primeiro quando cheguei em casa contando o que tinha visto, ouvido e sentido, meu filho mais novo já foi logo se oferecendo para me acompanhar no segundo e sabem o que ele disse:- Meu pai!Demais! Demais! Então não me venham com comparações! “Os dois são bons, um teve sua época, o outro está tendo a dele agora, e o que importa neste exato momento é ouvirmos o mais puro, real e verdadeiro Rock n'Roll”. Que venha o Camisa “botando pra fuder” com Scott, Gustavo Mullem, Karl Hummel, e quem mais quizer! Quando O Camisa de Vênus passar pela sua cidade, vá, ouça, veja e sinta, CURTA!!
Eu sei que estamos falando do Camisa e Scott, más quero deixar duas sugestões de dois discos: A primeira é o disco do Camisa de Vênus “QUEM É VOCÊ “ de 1996, eu acho entre tantos, um dos melhores! A segunda é o disco do Gonorréia “8205 O RESGATE DA HISTORIA”, é um disco de Rock, Punk e Pop. Tem musicas como, Se Fosse Fácil, Nunca Diga Nunca, Se Você Não Tem Piercing, Você Não é Gente, As Historinhas que Ninguém Come, etc.
Um abraço a todos (as) que realmente sentem o ROCK NA VEIA!
EDEM CESAR

Artur disse...

camisa de venus é a maior banda de rock.
2011 show do camisa em SP com certeza estarei outra vez para prestigiar a maior banda

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails