30 de jan de 2011

Água-vivas não queimam

  • Entenda o porque...

Na realidade as águas-vivas não queimam como falamos popularmente. Queimaduras ocorrem após um contato com algo quente, o que não é o caso desses cnidários, que além de frios, ficam na água do mar. O que acontece são acidentes chamados de envenenamentos. Todos os tipos de águas-vivas podem causar lesões? Elas podem matar?

Os cnidários possuem células com estruturas microscópicas que funcionam como um pequeno arpão, chamadas cnidas, que carregam em seu interior toxinas ou venenos. Quando entramos em contato com o animal, essas estruturas são estimuladas e os 'arpões' são disparados contra a nossa pele. A ação das toxinas é bastante variada no corpo humano, mas a sensação que temos é interpretada pelo nosso cérebro como algo parecido com uma queimadura, daí a confusão.

Em um acidente com águas-vivas, caravelas e algumas anêmonas e corais o principal sintoma é o de dor intensa. Essa sensação e as próprias marcas cutâneas são causadas pela ação do veneno, que tem propriedades neurotóxicas e necrosantes da pele, que causam as bolhas e feridas. Características como o tamanho e tipo do cnidário, e tamanho da vítima, vão definir a gravidade das lesões "Nas crianças os acidentes são mais graves por sua área corporal menor.


Em teoria, todas as águas-vivas têm a capacidade de causar acidentes, pois todas apresentam as cnidas. No entanto, existem diferenças na composição das toxinas das cnidas e isso pode gerar efeitos diferentes nos animais e no homem. Então, nem todas as águas-vivas causam acidentes graves, algumas podem trazer apenas uma irritação cutânea leve.
O tamanho dos animais varia entre os diferentes grupos. Em Hydrozoa algumas espécies possuem apenas 1 ou 2 centímetros, já em Scyphozoa elas podem chegar a até 2 metros de diâmetro. No Brasil as maiores chegam a no máximo 1 metro, mas em geral, ficam entre 10 e 30 centímetros.

  • Bonitas e perigosas


Apesar de sua bela aparência, pelas raras cores, as águas-vivas são perigosas e o contato com a mesma pode causar lesões ou até mesmo um óbito. As espécies mais perigosas são as Cubomedusas. Diversas espécies podem causar a morte, mas a mais famosa é a vespa-do-mar Chironex fleckeri (do inglês sea-wasp). Ela pode ser encontrada na costa leste da Austrália.

A medusa juba-de-leão Cyanea capillata, que ocorre no Atlântico norte, e a Pelagia noctiluca, que também ocorre no Atlântico norte e Mediterrâneo, fazem parte da lista das ameaçadoras. As temidas caravelas, muito confundidas com as águas-vivas, ficam à deriva nos mares de todo o mundo. O Brasil não apresenta espécies que causam acidentes graves.


Tenho verdadeiro pavor desses seres, já fui vítima duas vezes, sendo que a primeira vez foram vários ataques, porque me vi no meio de um monte delas, estava encurralado e me fudi, fiquei com manchas pelo corpo todo e foi a maior dor que senti em minha vida. Malditos serezinhos, belos e perigosos. As fdp que me atacaram foram justamente a da foto abaixo, bem presente aqui no litoral da Bahia.



. . .

2 comentários:

Anônimo disse...

na verdade o nome da estrutura que possui os "arpões" é 'cnidócito' e eses bichos não atacam ninguém...Quem lê pensa que é uma feraa aaaahhhhh

Anônimo disse...

aaah, aguas vivas são lindas *-* eu já passei a mão em uma hahaha, ela tava morta e sem os tentáculos. eu tinha até foto. encontrei esse pequeno ser no litoral de santa catarina.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails