22 de mar de 2011

Boxé e suas consequências no cérebro

  • O esporte que causa danos

Quando assistimos a uma luta de boxe, principalmente na modalidade profissional, em que não se usam capacetes, vemos lutadores receberem golpes de extrema força na cabeça. Porém, tempos depois, lá estão eles lutando novamente. Mas será que o cérebro não é danificado após tantos golpes?

É sim, e quase todos os lutadores sofrem com isso. Pesquisas já apontaram que traumas na cabeça - algo do qual boxeadores não tem como fugir depois de anos de combates - possuem enorme risco de causarem danos permanentes ao cérebro, informa o site Life Little Mysteries.


Células cerebrais, em sua maioria, não conseguem reparar a si mesmas, diferente das células do resto do corpo. Portanto, os neurônios danificados seguirão com problemas.
Uma curiosidade é que, segundo pesquisa de cientistas americanos, o boxe amador, no qual os lutadores utilizam proteção com capacetes, aumenta o risco de danos no cérebro. Os pesquisadores examinaram exemplar de medula espinhal de boxeador para medir a quantidade de certas substâncias químicas no fluído cerebral, líquido que ajuda a proteger o cérebro de choques e de repentinas mudanças de pressão. Foram encontrados altos níveis de marcadores que indicam danos no cérebro após uma luta de boxe.

Porém, Muhammad Ali, famoso ex-lutador que convive com a síndrome de Parkinson, causada por degeneração das células cerebrais, nunca teve provado que sua doença está relacionada aos seus tempos de lutador.

Minha opinião é que esse esporte é uma estupidez tremenda. Mas, fazer o que? O ser humano gosta de se arriscar, de provar que é melhor que o outro. O boxé um esporte típico masculino, onde seus participante pode colocar a testosterona para funcionar e liberar seu lado animal.

Para quem gosta, segue vídeos de nocautes:






. . . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails