22 de jun de 2012

Bordel gigante de luxo gera polêmica em Sidney


  • Autoridades se preocupam com o trânsito local e o monopólio do mercado erótico


Após muita discussão, a justiça da Austrália autorizou nesta quarta-feira (20) a reabertura do maior bordel de Sidney, o Stiletto Brothel. Reformado e ampliado, ele vai oferecer 40 quartos luxuosos e outros mimos aos seus clientes. 

Por mais incomum que possa parecer, o espaço não estava com o funcionamento suspenso por razões morais, mas porque as autoridades locais acreditavam que o gigantismo do estabelecimento afetaria a livre concorrência do setor e outras questões práticas, como o trânsito.

Num discreto prédio cinza do distrito de Camperdown, o Stiletto funciona 24 horas e cobra o equivalente a R$ 740 pelos serviços de suas garotas – valor mínimo para o período de uma hora de diversão, incluindo sexo oral, massagem e bebidas.


Serviços considerados “extras” – como beijo na boca apaixonado, brinquedinhos e transa com garotas lésbicas – são cobrados separadamente. O preço sobe ainda mais de acordo com o quarto escolhido.

Os clientes que visitam a casa podem consultar no site a agenda de suas garotas preferidas. É possível acessar fotos das moças e também filtrá-las por categorias, como cor do cabelo, altura e tipo físico. 

Caso não haja preferência, basta chegar: sempre haverá uma acompanhante disponível durante as 24 horas de funcionamento do bordel.

As suítes do Stiletto lembram as de motéis sofisticados. Na Royal, por exemplo, existem duas camas grandes padrão queen, duas TVs de plasma, uma pista com um mastro de pole dance, piscina e dois banheiros, entre outros itens. 

Já a Tour Stiletto tem paredes adornadas com cristais Swarovski e comporta até 16 pessoas.

"Aceitável e muito melhor"

Em setembro de 2011, as autoridades da cidade vetaram o projeto de aumento de 20 para 40 dormitórios do bordel, criticando não só o gigantismo do estabelecimento, mas também o possível aumento de tráfego e de barulho que a ampliação geraria. 

Alguns moradores da cidade aproveitaram a ocasião para fazer críticas à prostituição como negócio, mas a juíza que decidiu pela abertura não os levou em consideração.

“Estabelecimentos dedicados ao sexo são legais e, portanto, as objeções morais não são pertinentes", disse a juíza Susan O'Neill, na sentença do caso, afirmando que o Stiletto é um estabelecimento "aceitável e muito melhor" que a grande maioria dos outros bordéis da cidade.

Na Austrália, a legislação sobre a prostituição depende de cada estado. A atividade é legal em alguns locais como Nova Gales do Sul, o estado da cidade de Sydney, e é proibida em outros.




. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails