13 de nov de 2016

Este homem saiu para tomar uma e quando voltou era o único sobrevivente de sua cidade

Nascido em 1875 na ilha caribenha da Martinica, Ludger Sylbaris trabalhava como operário na cidade de Saint-Pierre. Mais conhecido com Sanson, ele era um homem enorme, notório cu-de-encrenca que vivia arrumando confusão, principalmente quando bebia. 

Na noite de 7 de maio de 1902, ele saiu para tomar uma bebida e acabou causando um tumulto onde surrou um outro bêbado. Este incidente levou-o a um confinamento solitário na cadeia. Para ensinar lhe uma lição, a polícia o trancou em uma única cela, parcialmente subterrânea.

A solitária nem sequer tinha uma janela, além da pequena fenda na porta, pleno breu. Ficar preso neste pequeno espaço, porém, mais tarde salvou sua vida. Acontece que no dia seguinte, o vulcão do Monte Pelée, localizado perto de Saint-Pierre, começou a entrar em erupção. O vulcão, na verdade, já vinha ameaçando entrar em erupção por mais de uma semana e milhares de moradores deixaram o campo e se abrigaram na cidade, o que provou ser um erro fatal.





O vulcão explodiu e causou uma destruição maciça, matando as cerca de 40.000 pessoas. A onda de pressão ultrapassou os 1.000 graus de temperatura, achatando todos os edifícios da área. Enquanto isso, aqueles que não morreram nos edifícios em colapso foram queimados ou sufocados até a morte. A onda trouxe gás superaquecido que queimou o oxigênio e substituiu-o com cinzas do vulcão.

O local que ficava a solitária.

Um busto erigido em homenagem a Sanson na pequena Saint-Pierre.
Quatro dias depois da erupção, uma equipe de resgate ouviu Sylbaris gritando por ajuda. Embora seu corpo estivesse com terríveis queimaduras, sobretudo nas costas, a solitárias estava no ponto mais seguro da ilha e isso salvou sua vida. 

Mas não só isso, ele contou que tirou sua roupa, urinou nelas e colocou-as na fenda da porta para se proteger do calor extremo. Ainda assim o buraco seguiu esquentando e queimando sua pele.

Somente outras duas pessoas, que saíram antes da ilha um pouco antes, um sapateiro e uma menina, se salvaram da trágica erupção do Monte Pelée, que ficou conhecida como "O Dia do Juízo Final". Sanson mais tarde ganhou fama como único sobrevivente da destruição generalizada a permanecer no local.

Ele acabou sendo contratado pelo circo Ringling Bros. and Barnum & Bailey do infame Phineas Taylor Barnum, onde era conhecido como a "relíquia viva" e "o homem que sobreviveu ao fim do mundo". Durante sua apresentação ele contava sua história de sobrevivência com uma voz grave profunda e, ao final de seu ato, mostrara suas terríveis cicatrizes, para espanto das multidões.



Fonte



. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails