31 de out de 2015

Fotógrafo mostra o que se esconde sob a roupa das pessoas tatuadas no cotidiano

Há duas principais questões que afugentam as pessoas mais sensatas que são tentadas a frequentar um estúdio de tatuagem. A primeira: " - E quando você ficar velho?"

e a segunda: " - E como arrumar emprego?", bem, se você não for cometer a insanidade de tatuar nenhum palhaço nas costas ou um pinto ou um palavrão na testa não há o que temer. Porque haveria? Foi mais ou menos isso o que quis mostrar o fotógrafo londrino Alan Powdrill.

Afinal as pessoas que são amantes da tatuagem não são de um tipo único: vêm de todas as formas e tamanhos, como mostra Alan em sua nova série de fotografias intitulada "Covered". As pessoas que aparecem em suas fotos, muitas delas tatuadas do queixo aos pés, são autênticas obras de arte andantes. No entanto, quando estão vestidas, ninguém poderia nem imaginar que são como museus prontos para exibirem sua arte em um ambiente propício.


Para esclarecer tudo, cada foto de Allan vem com um breve comentário da pessoa retratada sobre sua história com as tatuagens. Alguns começaram muito tarde, aos 40 ou 50 anos, enquanto outros são entusiastas durante toda sua vida e começaram a tatuar-se inclusive antes de ter idade legal para isso.

Allan tem um montão de fotos de gente interessante, de modo que se gosta desta série, não deixe de dar uma zapeada em seu site.


  • Lilliana, 23 anos


- "Não acho que mude de opinião sobre minhas tatuagens, duvido que lamente um dia apesar de minha idade. A-mo!"


  • Graham, 58 anos


- "Tinha 51 quando comecei. Meu pai já tinha morrido e minha mãe não disse nada, já que começava a ficar demente. Senão não teria feito."


  • Dave, 66 anos

- "Comecei em 1963 quando tinha 14 anos e acho que não vou parar nunca."


  • Victoria, 37 anos

- "Minhas tatuagens são parte de quem sou, e sempre gostarei, agora e quando tenha 80 de anos. Disso trata o amor por minha aparência."


  • Alex, 49 anos

- "Minha mãe não ficou muito contente com a andorinha que me fiz na mão, de modo que disse a ela que fiz porque gostava e não para aparecer ou para alguém gostar."


  • Izzy, 48 anos


- "Me encanta ser diferente e a cada dia me perguntam sobre elas. As tatuagens boas não são baratas e os tatuagens baratas definitivamente não são boas."


  • James, 33 anos

- "Tinha 16 e fiz um pequeno lagarto na cintura. Meus pais disseram que jamais conseguiria um trabalho. Bem, eu consegui!"


  • Kimmy, 29 anos

- "Minhas tatuagens do Kiss são minhas favoritas, doeram pra cacete, mas me senti feliz em ter esta dedicatoria suprema para a banda."


  • Peter, 38 anos

- "Elas me deram confiança desde que descobri que sofro da doença de Crohn. Gostarei no futuro assim como gosto agora."


  • Michelle, 53

- "Não posso dizer a que idade pararei. Enquanto tenha espaço para preencher, vou tatuando. Não acho que um dia vá muar minha atitude."


  • Bill, 59 anos

 
- "Gosto demais do fato de ser uma pessoa madura, ter um trabalho sério, estar rodeado de pessoas e amigos decente e ter tatuado no peito “Não fode porra!”."


  • Patrick, 34 anos

- "Minha primeira tatuagem foi aos 13 anos e mantive a em segredo durante 10 anos. É uma parte minha que nunca vai envelhecer."


  • Chris, 25 anos


- "Se alguma vez esqueço quem sou, basta ficar pelado, me olhar no espelho e descobrir que sou eu de novo."


  • Kenny, 27 anos

- "Adoro minhas tatuagens, é uma forma de vida e parte de minha identidade. Seguirei fazendo tanto tempo quanto possa."


  • Ness, 40 anos

- "Gosto como elas mudam segundo meu corpo envelhece e as rugas mudam seu aspecto. Pararei quando não tenha espaço abaixo do pescoço."


  • Simon, 47 anos

- "Enquanto eu puder ir ao banheiro e mijar por mim mesmo, não me importo com o aspecto que tenha quando seja velho. Nunca tive intenção de fazer tantas, mas tenho uma personalidade que vicia fácil."




. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails