20 de jun de 2011

Conheça as melhores cidades para voar de asa-delta e parapente

  • No Brasil os destaques são Atibaia (SP), Rio de Janeiro (RJ), Patu (RN) e Quixadá no (CE)

Para praticar o voo livre com asa-delta ou parapente é preciso saltar de um lugar estratégico, com boa altura e segurança. E conforme a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) o Brasil possui diversas cidades para quem deseja experimentar a adrenalina deste esporte.

Na região sudeste as mais cotadas são: Santo Antônio do Pinhal, Atibaia e Socorro (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Governador Valadares e Andradas (MG). Fora do deste eixo há outras cidades que também oferecem excelente estrutura para o voo livre: Patu (RN), Quixadá (CE), Brasília (DF) Sapiranga e Igrejinha (RS).

A cerca de 70 km da capital paulista, em Atibaia existe a estrutura rochosa conhecida como Pedra Grande, onde é possível fazer várias decolagens. Já o pouso é realizado no bairro de Flamboyant, 4 km de distância da partida.

Pedra Grande em Atibaia


Em Socorro, o Pico do Cascavel é o local ideal para o voo livre. A 520 metros de altitude, possui três rampas naturais e uma de madeira. O pouso fica a 3 km distante da partida.

Voo de asa-delta em Socorro

No nordeste, a praia da Pipa, em Patu, no Rio Grande do Norte, também recebe os apaixonados pela atividade. Lá, a decolagem ocorre do alto de uma falésia (forma geológica vertical junto do mar), permitindo vista de toda a orla.

A bela vista de um voo de parapente em Patu

Foi partindo de Quixadá, que em 2007, Frank Brown, Rafael Saladini e Marcelo Pietro, que o trio de amigos brasileiros quebraram o recorde mundial de distância no voo livre de parapente. Os três decolaram da cidade cearense e voaram 461,8 km (distância equivalente entre São Paulo e Belo Horizonte), pousando no Piauí.

  • E então, se interessou pelos belos lugares? Antes, saiba mais como funciona a prática do voo livre.

Ambos os equipamentos do asa-delta e parapente (que também é conhecido por paraglider), não são motorizados, ou seja, para voar eles usam as correntes de ar quente para se manter e impulsionar o voo. O local de decolagem deve ser estrategicamente pensado. Usa-se uma plataforma ou uma rampa natural, geralmente no topo de uma montanha.

Na asa-delta, o usuário vai deitado, com a barriga para baixo em uma espécie de cadeira acolchoada. Já no parapente a pessoa vai sentada, numa estrutura não rígida, semelhante a um paraquedas.

Tanto no asa-delta como no parapente, os controles de direção e altitude ficam nas mãos, facilitando o manuseio do equipamento. A atividade pode ser praticada por todas as idades afirmam os especialistas da área.

Na primeira vez é realizado um voo duplo, acompanhado por um instrutor experiente.

. . . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails