10 de set de 2010

Silverjaw


  • ENTREVISTA COM PAULO ROBERTO (BANDA SILVERJAW)



1 - Lucas Bertolucci - Como surgiu a Banda Silverjaw?
Paulo Roberto -  A Silverjaw surgiu pra valer em meados de 2005, idéia que partiu basicamente da vontade minha e de meu irmão (Luis) em formar uma banda de rock que junto com mais três colegas (Décio Jr - Victor - André) que também queriam fazer uma "sonzera" alternativa, fora dos estilos convencionais de Salvador, conseguiram concretizar essa idéia.  No inicio era uma grande mistura de influências que com o passar do tempo amadureceu num som que varia do Rock pop ao hardcore.  Eu lidero no vocal, nas guitarras Luis e Victor, no baixo Décio Jr e na bateria André, cinco cabeças com influências bem diversificadas dentro do universo do Rock. A idéia do nome surgiu ainda antes da criação da banda, eu sempre tive uma admiração por tubarões e de certa forma achei sugestivo a imagem radical e agressiva desse animal com o som e o estilo proposto pela banda. E buscando algum nome que pudesse fazer a relação, lembrei do nome do filme "Tubarão" que em inglês é "Jaws" que significa "mandíbulas". Acrescentei o "Silver" que significa "Prateado" , fazendo uma relação com as cordas metálicas dos instrumentos, dando origem a esse nome peculiar "SILVERJAW".

2 - Lucas Bertolucci - A Banda Silverjaw tem uma pegada mais Hardcore e do Rock Pop, como as influências de outros estilos chegam até vocês?
Paulo Roberto -  Costumo dizer que dentro das vertentes do rock curto de tudo, sou um roqueiro eclético (risos). Ouço desde Heavy Metal, New metal, hardcore até uma balada rock pop mais romântica, Pra mim não existe essas subdivisões, todas são crias do rock. Procuramos de certa forma, aglutinar essas influências e transmitir um pouco de cada coisa no nosso som. Agora fora do trabalho com a banda, ouço outros estilos também além do rock, como reggae, mpb, soul/black, forró, estilos que estão em toda parte, tendo também seu valor musical e são inevitáveis de serem apreciados. Tenho minha preferência musical definida pelo rock, mas sem ser extremista e radical.

3 - Lucas Bertolucci - 2007 e 2008 vocês participaram do Festival de Bandas do Bondcanto e nas duas chegam até a final. Como é participar de um festival com vários estilos de músicas diferentes?
Paulo Roberto -  Foram duas oportunidades muito válidas para nosso crescimento como banda, onde obtivemos espaço para divulgarmos nosso trabalho e poder somar no nosso material, dois dvds das nossas apresentações. Em contra partida se torna uma faca de dois gumes, no sentido de que a nível de competição as coisas complicam um pouco, devido as votações ficarem tendenciosas a estilos mais tradicionais e regionais, sem desmerecer as outras bandas ou os jurados, mas infelizmente salvador ainda não dá o devido valor as bandas de rock local, digo isso porque sempre falam que não tem público pro rock aqui, mas quando rolam  os poucos eventos que trazem bandas de rock de outros estados, aparecem público pra curtir a sonzera.





(Silverjaw na Final do Festival de Bandas do Bondcanto 2008)


4 - Lucas Bertolucci - Como é o processo de criação das músicas da Banda?
Paulo Roberto -  Basicamente as músicas são compostas por mim em parceria com meu irmão (Luis), onde buscamos abordar situações do nosso dia a dia, como por exemplo a música "NO STRESS" que fala da correria diária, onde temos que esfriar a cabeça, não deixar com que o stress nos atrapalhe de curtir a vida, "CONTRA A MARÉ" música que retrata metaforicamente nossa luta diária como banda de rock independente em Salvador, passando uma mensagem motivadora, fazendo uma citação de uma frase de Raul Seixas "É chato chegar a um objetivo num instante"; outras como "RECOMEÇAR", "REALIDADE IMPOSSÍVEL", "TÔ EM OUTRA", "PENSO EM VOCÊ" que retratam situações de relacionamentos. Enfim, o objetivo principal de nossas composições, independente do seu tema e contexto é expressar nossas idéias e sentimentos, fazendo com que as pessoas possam também se identificar com elas.

5 - Lucas Bertolucci -  Quais as bandas que você ouve e quais as que mais te influenciam?
Paulo Roberto -  Eu particularmente procuro sempre fazer "laboratório", ouvir, comparar e absorver o que as bandas clássicas como Beatles, Rolling 'n Stones, Ramones, Pistols e muitas outras que deixaram como legado além de suas músicas, atitudes, irreverências e que juntos formaram as bases e são referências pra o rock atual, mas minhas principais influências que me induziram a curtir o rock, estão em bandas mais contemporâneas, (com exceção do velho Raulzito que por causa do meu pai, cresci ouvindo suas músicas ) que fizeram parte da minha adolescência, como as estrangeiras: Guns, Green Day, Red Hot Chilli Pepers, the offspring, metallica entre outras.....além das nacionais como: Legião Urbana, Raimundos, Charlie B. Jr e algumas outras que de certa forma me influenciaram e também aos outros integrantes direta e indiretamente na formação da Silverjaw.

6 - Lucas Bertolucci - Qual sua visão para musicalidade atual da Bahia e do Brasil?
Paulo Roberto -  Infelizmente o monopólio musical de, basicamente, dois estilos predominam no mercado musical da Bahia, mais especificamente em Salvador.  Isso faz com que as opções alternativas tenham que sair para outros lugares e estados para buscarem reconhecimento. Acredito que a massificação da oferta desses estilos através da "ditadura" dos meios de comunicação é que gera essa grande demanda em salvador, onde o importante não é a música em si, mas em fazer parte do modismo. Comparando Salvador com outras cidades do nordeste,  em relação a absorção da diversidade de estilos musicais, se torna uma das piores, se não for a pior. A nível de Brasil, vejo a musicalidade em outras regiões abertas à misturas e experimentações, apesar de vivermos um momento caótico de epidemia de grupos que se julgam banda e apelam pra exposição de corpos semi nus, com pouca musica e mais sexo verbal.





(SILVERJAW - MÚSICA - RECOMEÇAR)


7 - Lucas Bertolucci - O que precisa melhorar para bandas menores ter mais visibilidade?
Paulo Roberto -  Simplesmente mais oportunidade, mais espaço, mas interesse de empresários, músicos influentes e pessoas ligadas de certa forma com o entretenimento e o show business em realizar eventos que promovam essa democratização, abrindo as portas para novos talentos. Ouve-se muito falar sobre a qualidade musical das bandas independentes e desconhecidas, no sentido de desclassificá-las, como amadoras, mas considero como única diferença entre a maioria das desconhecidas e das famosas, os recursos e investimentos em equipamentos e divulgação, pois, existe muita banda com espaço na mídia e um aparato forte de marketing, sem ter a excelência musical que lhe é intitulada. Hoje não se sabe mais o que é bom ou ruim na música, uma coisa é fato, apelou pra "lavagem cerebral", ta na boca do povo. 

8 - Lucas Bertolucci - Sobre shows, por onde vocês andam? Já tem alguma previsão de shows no sul ou outras regiões?
Paulo Roberto -  Esse começo de ano, a banda não fez nenhum evento ainda, estamos concentrados em estúdios pra a criação e gravação das musicas que farão parte do nosso 1º cd independente, Mas a partir do mês de fevereiro, retomaremos nossa jornada de divulgação local, buscando casas e eventos pra nossos shows. Tocamos sempre no eixo Rio Vermelho - Barra. Pretendemos expandir esse ano pra outros pontos da cidade. Infelizmente não temos recursos suficientes para fazer eventos fora do estado, mas estamos mantendo contato com outras bandas independentes, planejando uma empreitada juntos, para expandir nosso trabalho para outros locais.

9 - Lucas Bertolucci - Quem é Paulo Roberto, como você se vê?
Paulo Roberto -  Sou um soteropolitano de 26 anos, solteiro, formado em ADM com ênfase em Analise de Sistemas, com uma gana de desenvolver minhas potencialidades, seja na música, na minha área de atuação profissional, sou um cara família, temente a Deus, com princípios e valores bem definidos, de bem com a vida, amigo, prestativo, possessivo, criativo, reflexivo, ousado, persistente, impulsivo, agitado, nervoso, critico, as vezes cético...outras vezes esperançoso por dias melhores, gosto de esportes, atividades físicas, fascinado por cinema, Rock (Em todas as suas vertentes), vida animal (especialmente tubarões), desafios. Não gosto de falsidades, mas infelizmente nessa vida temos que saber conviver com ela ... enfim....me vejo um misto de qualidades e defeitos como qualquer outro mortal que não mede esforços pra correr atrás do que quer, dos seus sonhos, mas sempre respeitando meus limites e os dos outros.






(Silverjaw - Versão de Metamorfose Ambulante)


10 - Lucas Bertolucci - Deixe um recado para nossos leitores e seus fãs.
Paulo Roberto -  Fala galera!!! Silverjaw na área!!! Agradeço em nome de todos os componentes da banda, a todos as pessoas que acompanham, se identificam conosco e apostam no nosso talento e no nosso trabalho, os amigos, familiares que nos dão força e nos apóiam nessa batalha. Esperamos poder nesse primeiro semestre finalizar o nosso 1º cd independente pra massificarmos a divulgação da banda e de nossas músicas. E pra quem ainda não nos conhece, deixaremos o link do nosso site www.silverjaw.com.br onde se pode encontrar um pouco do nosso trabalho falow! Forte abraço da galera SJ!!!!! Rock na veia!!!!!!   E como dizia o velho Raulzito...."VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA".


Links para você conhecer mais a galera da Silverjaw:
www.silverjaw.com.br
www.myspace.com/bandasilverjaw
www.flogao.com.br/silverjawrock
http://www.8p.com.br/olhaminhabandadepoprock/silverjaw/perfil

CONTATO PARA SHOW:
55 (71) 8897-8122
55 (71) 9197-9112

OUTRAS ENTREVISTAS - CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails